benzodiazepínicos

Família química de apaziguadores da ansiedade (ansiolíticos). Começa com o meprobamato (Equanil), que já não existe mais, há cerca de 50 anos. É seguido pelo clordiazepóxido (Librium) e, em seguida, pelo diazepam (Valium), que se tornou o padrão da família. Desde lá até hoje os laboratórios farmacêuticos multinacionais não pararam mais de inventar novas formulações sobre o mesmo tema. O único dado importante que podemos citar na evolução dos benzodiazepínicos, é o fato de que os mais modernos serem menos sedativos que os mais antigos. Por outro lado, são menos miorrelaxantes, diminuindo, assim, seu poder de tranqüilização (isto é, diminuir a inquietude motora).

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.