BULCKENS? (1811-1876)

A lei de 18 de junho de 1850, reorganizando o status dos alienados, inaugurou na Bélgica uma era nova. Foi nesse contexto que, em 1856, por recomendação de Joseph Guis­lain, BuIckens chegou a Gheel como médi­co-inspetor a fim de fazer reformas. Depois de criar uma enfermaria para os doentes cujo estado necessitava de cuidados médicos, lan­çou em 1859 as bases de uma repartição essencialmente pragmática dos pensionistas. Ele os separou em "internos", limpos e pací­ficos, abrigados no próprio centro da aldeia, e em "externos", cuja repartição centrífuga ia dos mais disciplinados aos mais turbulentos, estes exilados "nos pântanos de Winkelom", na periferia da aglomeração.

O Boletim da Sociedade de Medicina Mental da Bélgica prestaria homenagem "ao brilho das felizes e numerosas reformas de BuIckens" no "admirável asilo de Gheel, com seus mantenedores honestos, religiosos e de­votados", a tal ponto que, para o estrangeiro de passagem, parecia que "não havia mais alienados" na colônia. Essa visão da "setori­zação" talvez não esteja completamente au­sente de certas orientações que se pretendem muito atuais.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.