libido, deslocabilidade da

Conceito psicanalítico referente a um aspecto da "teoria da libido" do desenvolvimento sexual infantil. Por ordem de surgimento e desenvolvimento, as fases libidi­nais são consideradas, geralmente, como: (1) oral, (2) anal, (3) fálica, (4) genital.

As excitações e gratificações sexuais estão especificamente relacionadas com as zonas eró­genas características de cada fase especifica do desenvolvimento libidinal, e receberam a desig­nação de pulsões parciais, uma vez que tendem a formar ou contribuir com componentes par­ciais para o padrão total final de sexualidade adulta plenamente realizada. Essas pulsões par­ciais geralmente são discerníveis na vida sexual adulta, nas chamadas carícias prévias ou nos traços de perversão.

Essas pulsões parciais podem ser substituídas umas pelas outras na excitação e gratificação. A insatisfação numa zona pode propiciar, mais cedo ou mais tarde, um aumento de atividade numa outra zona. Isso gera a impressão meta­fórica de que a energia do instinto sexual total, ou libido, é de natureza fluida, como se estivesse sujeita a forças metafóricas hidrostáticas e hidrodinâmicas. Dessa impressão derivaram termos psicanalíticos tais como bloqueio, reca­nalização, deslocamento e outros, que suben­tendem o desvio de excitação e gratificação de uma área de escoamento para uma outra.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra - Pós-doc em Filosofia Membro do Viktor Frankl Institute Vienna Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.