libido, teoria da

Tecnicamente, a hipótese psica­nalítica referente ao desenvolvimento e vicis­situdes da pulsão ou instinto sexual. Com fre­qüência, entretanto, a teoria da libido é usada com referência à totalidade das hipóteses psica­nalíticas sobre os instintos do homem. A confu­são nasceu do fato de, até 1920, Freud não ter desenvolvido completamente a sua teoria dual dos instintos; antes disso, toda e qualquer manifestação instintiva era considerada parte da pulsão sexual. Hoje em dia, no entanto, pressupõe-se a existência de duas pulsões: a sexual (libido) e a agressiva.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra - Pós-doc em Filosofia Membro do Viktor Frankl Institute Vienna Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.