linguagem não-verbal

A comunicação por gestos, sons, expressões faciais, posturas etc. Em psi­copatologia, especialmente na infantil, a comunicação entre o clínico e o paciente por meio da linguagem não-verbal freqüentemente revela mais do que quaisquer palavras que possam ser ditas.

linguagem psicossomática primitiva

Locução usada por L. E. Hinsie para caracterizar a expressão de sentimentos ou pensamentos por meio de movimentos corporais, em lugar de palavras.

Essa linguagem psicossomática primitiva po­de ser facilmente observada em esquizofrênicos e em esquizofrênicos latentes. Crianças que, mais tarde, desenvolvem catatonia, apresentam desde cedo uma "tendência para a obstinação, que se manifesta através de posturas, gestos, imobilidade ou movimentos exagerados do corpo. Essas crianças falam mais com os músculos do que com a boca". Por exemplo, quando não querem ver coisa nenhuma, fe­cham os olhos firmemente, ou apertam os lábios quando não querem falar. Nos esquizo­frênicos avançados, os movimentos do corpo expressam freqüentemente crenças especificas. Um paciente pode balançar-se de um lado para outro acreditando que tal movi­mento é necessário para manter o universo em marcha, ou pode deixar cair a mão espalmada repetidamente, acreditando que assim destrói o universo.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra - Pós-doc em Filosofia Membro do Viktor Frankl Institute Vienna Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.