cocaína

Alcalóide obtido das folhas de coca, Eritroxylon coca (Bolívia, Peru), usado por vezes como anestésico tópico. Hoje em dia, é principalmente uma dro­ga de abuso e dependência. A intoxicação por cocaína manifesta-se através dos seguintes sin­tomas: excitação psicomotora, loquacidade, sentimentos exultantes e grandiosos, sensação de que ocorreu uma ampliação dos limites da consciência e da percepção, pupilas dilatadas, taquicardia, suores ou calafrios, anorexia, náu­sea, insônia; podem ocorrer idéias de auto-re­ferência, deterioração da capacidade de julga­mento, alucinações (geralmente auditivas). Quando administrada por via intravenosa, a cocaína produz um "rush" – uma sensação de intenso bem-estar e confiança. Após uma hora, mais ou menos, os efeitos começam a se dissi­par, e durante esse período de "colapso" emer­gem sentimentos de irritabilidade, ansiedade ou depressão, ao lado de um forte desejo de mais cocaína.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.