Modos essenciais de ser-no-mundo para L. Binswanger

Binswanger publica suas idéias (1931/32), com seu estudo Sobre a fuga de idéias. A partir de um exemplo clínico, analisa o que ele denomina como mundo ideofugitivo do maníaco. Com a fuga de idéias, tido como o mais típico elemento da síndrome maníaca, descreve Binswanger com os termos heideggerianos saltar (springen) e turbilhão (Wirbel), como modalidades fundamentais, a saltante e a turbilhonante, na estrutura antropológico-existencial do estado maníaco. Descreve, também, como integrantes essenciais deste modo de ser-no-mundo:

(a) quanto à espacialidade – nivelamento, diluição, expansividade, avidez de espaço: "O mundo é demasiado pequeno para a expansão do ser, aproximam-se as distâncias";

(b) quanto à temporalidade – dissolução do devir, com absorção do passado e do futuro no momento presente, ao qual, contudo, não se fixa, mostrando-se continuamente deslizante: "Pode-se dizer que a temporalidade perdeu seu relevo, que foi nivelada, e que o paciente agora como que desliza no tempo"; 

(c) quanto ao humor – o otimismo que faz da vida um turbilhão, uma dança inconseqüente;

(d) quanto à consistência, iluminação e tonalidade do mundo – a volatilidade, a leveza, fluidez, claridade, brilho e colorido róseo: "Volatilidade sem peso, sem resistência, e que permite deslizar, nadar, voar, como em um meio transparente, cômodo e elástico";

(e) quanto à queda no cotidiano (vida comum) – onipotência, degradação ética dos contatos sociais e aviltamento dos valores, de onde as irreverências, perda das conveniências, logorréia com linguagem desabrida e coprolálica, uma espécie de expectoração verbal, no dizer do próprio Binswanger.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.