Queda (Verfallen) na inautenticidade

Para heidegger: Queda (Verfallen) na inautenticidade – forma comum de evasão, de recusa do compromisso assumido, ou seja, de levar a termo seu projeto-de-mundo (Welt-Entwurf), livremente escolhido, respondendo por todas as suas conseqüências existenciais; cai na inautenticidade da cotianidade anônima dentro das chamadas soluções "normais". A angústia surge diante do nada, não apenas como ausência absoluta de algo, mas como tendo, também, uma estrutura existencial positiva, mesmo que seja concebida dialeticamente como ausência de estrutura. Portanto, toda busca de abstração de si mesmo, de fuga da realidade, sob qualquer de suas formas, resulta em um enganar-se a si próprio, significando a queda do Dasein no inautêntico. Esse refúgio no banal, no aqui-e-gora, constitui recurso comum de que se vale a condição humana. Mesmo sabendo da morte, vive o homem sob a ficção de sua imortalidade. Luta, apaixona-se, empenha-se como se fosse realmente imortal. Comumente arrisca-se ao perigo como se dispusesse de muitas vidas, ou como se pudesse renascer das próprias cinzas, qual Fênix.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.