“uma meditação racional nos confins da condição humana”. (Jaspers)

A obra de Jaspers é "uma meditação racional nos confins da condição humana".

"Uma meditação…" – e não reflexão, sondagem, ou pesquisa, porque as operações do pensamento que tocam os confins, não concernem só a estes, mas também à existência de quem pensa, à sua maneira de ser um sujeito pensante e à sua possível liberdade.

"racional…" – porque esta não se serve nem das experiências de ordem afetiva (emoções, sentimentos, aspirações), nem de uma Revelação, mas dos claros esforços da razão. Esta razão (Vernunft) se apresenta como algo ativo, incansavelmente tensa em direção a uma verdade que fica sempre acima das suas possibilidades.

"nos confins…" – porque seja qual for o domínio em que o pensamento se exerce, ele irá até os limites onde as condições de exercício desaparecem e o malogro o impele ao salto, seja de volta à sua origem, à existência, seja para além dos seus limites, à transcendência.

"da condição humana." – porque, aqui, o pensamento não esquecerá por um só instante que não é pensamento absoluto, de um sujeito absoluto, mas o pensamento de um ser humano situado no tempo e no espaço e, portanto, historicamente condicionado e comprometido. Revela-se assim ao mesmo tempo essencialmente ligado à relatividade do seu universo e voltado ao absoluto pela sua origem e fim.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra - Pós-doc em Filosofia Membro do Viktor Frankl Institute Vienna Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.