complacência, princípio da

W. B. Cannon formu­lou a tese de que os "instintos" e os "impulsos" são, num sentido, tentativas por parte do orga­nismo para manter em nível ótimo a sua eco­nomia corporal (homeostase). R. B. Raup cha­mou a isso o princípio de complacência, indi­cando assim que todo o organismo é um siste­ma fisiológico que tende a preservar a sua con­dição estacionária ou a restaurar a condição estacionária logo que ela é perturbada por qual­quer variação que ocorra dentro ou fora do organismo. Num certo sentido, todas as ne­cessidades e desejos são padrões de comporta­mento, como a retirada, ou o ataque, ou a fuga, em conseqüência direta ou indireta dessa ten­dência geral para manter constante a condição fisiológica.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.