complexo autônomo

"Todas aquelas formações psíquicas que, no começo, se desenvolvem de forma inteiramente inconsciente e que só a par­tir do momento em que atingem um valor-li­miar estão aptas a penetrar na consciência. A associação que elas então estabelecem com a consciência não tem a importância de uma assi­milação mas, antes, de uma percepção; quer dizer, o complexo autônomo, embora certa­mente percebido, não pode ser submetido a controle consciente, seja na forma de inibição ou de reprodução voluntária. A autonomia do complexo revela-se no fato de aparecer ou de­saparecer quando e sempre que se harmoniza com a sua própria tendência intrínseca; ele é independente da opção da consciência." (Jung)

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra - Pós-doc em Filosofia Membro do Viktor Frankl Institute Vienna Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

One Response to complexo autônomo

  1. Sandro Lima 14 de agosto de 2015 at 15:45 #

    Me amarro em psiclogia