compromisso, distorção de

Em contraposição à formação de compromisso que ocorre nos desen­volvimentos normal e neurótico, S. Freud usou o termo distorção de compromisso para descre­ver um processo análogo numa psicose. Devido a um compromisso ou ajuste entre a resistência­ do ego e a força da idéia sob repressão, o retor­no do reprimido é distorcido e converte-se nu­ma delusão ou numa alucinação. "Uma cir­cunstância muito peculiar na paranóia… é que as reprimendas recalcadas retornam como pen­samentos formulados em voz alta. Devem, por isso, sofrer uma dupla distorção: em primeiro lugar, através de uma censura, que leva à sua substituição por outras idéias associadas ou a um disfarce por infinitas espécies de expressões; e, em segundo lugar, através de sua relação com experiências correntes que são meramente aná­logas às originais." (Freud)

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra - Pós-doc em Filosofia Membro do Viktor Frankl Institute Vienna Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.