fala, distúrbios da

Todas as anormalidades na produção da fala que não sejam devidas a insu­ficiência de inervação dos músculos da fala ou órgãos de articulação. Há uma lista confusa de termos que se referem a distúrbios específicos da fala, mas muitos deles contêm elementos de composição geralmente aceitos, o que torna mais fácil a sua compreensão:

1. a- ou an- significa ausência ou perda total, como em afonia (perda de voz) ou afasia.

2. dis- significa perda parcial ou limitada a uma função discreta, como em dislexia, onde só algumas letras ou palavras são omitidas ou transpostas.

3. mogi- ou moli- significa funcionamento trabalhoso ou que exige esforço, como em mogilalia (fala trabalhosa).

4. taqui- significa rápido, como em taquilogia (produção rápida de palavras).

5. bradi- significa lento, como em bradilalia (fala lenta).

6. hiper- significa excessivo, como em hiper­frasia (loquacidade).

7. hipo- significa reduzido, inadequado, co­mo em hipologia (redução da fala).

8. para- significa uma mudança qualitativa da faculdade, como em parafrasia (uso de uma frase errada, inadequada).

9. agito- significa agitado, como em agitolalia (fala rápida e desorganizada).

10. embolo- significa introdução de elemen­tos desnecessários, como em embolofrasia (fala permeada de frases sem sentido ou irrele­vantes).

11. eco- significa repetição, como em ecolalia (repetição pelo sujeito de sons ou palavras que ele ouve).

Alguns distúrbios de articulação têm nomes específicos:

gamacismo – g pronunciado como d; lambdacismo – L pronunciado como u ou i; rotacismo – r pronunciado como u ou L; sigmatismo – s pronunciado como ch, f ou como o som do th em inglês.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra - Pós-doc em Filosofia Membro do Viktor Frankl Institute Vienna Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.