fixação

Em psicanálise, a persistência da catexia libidinal ou agressiva de um objeto da infância na idade adulta. A fixação geralmente implica patologia e sugere que o montante de energia retido em nível infantil é maior do que na pessoa normal, que nunca abandona inteira­mente um objeto ou modo de satisfação que estava fortemente investido de energia psíquica. Na pessoa normal, embora níveis anteriores per­sistam junto com, ou subordinados a, níveis superiores de desenvolvimento psíquico, a maior parte da energia psíquica concentra-se nos ní­veis superiores. Quando a energia retida em níveis inferiores excede a quantidade esperada numa pessoal normal, é aplicável o termo "fi­xação" e, de um modo geral, a fixação indica que há um ponto fraco na estrutura psíquica que pode predispor à neurose.

Estreitamente relacionada com a fixação está a regressão, pois quando esta última ocorre, o paciente regride, tipicamente, para um objeto ou modo de satisfação em que esteve fixado antes.

Em serviço social, fixação é "uma forma de aberração de afeição em que existe devoção exagerada a alguém, geralmente num papel parental; como a fixação materna".

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.