fuga

Ato de fugir ou evadir-se para escapar a um perigo. Uma condição ou estado em que o pa­ciente abandona subitamente a sua atividade anterior e começa a vaguear ou empreende uma viagem que não parece ter relação alguma com o que estava fazendo antes e com respeito à qual, depois, apresenta amnésia. Em fugas de curta duração, o paciente mostra-se geralmente agitado e confuso; nas fugas de longa duração, ele poderá parecer completamente normal ao observador. As fugas podem ocorrer como um tipo de estado crepuscular epilético, como uma forma de excitação catatônica ou como uma forma de histeria de conversão (reação dissocia­tiva). Como reação psicogênica, parecem ser freqüentemente precipitadas pela necessidade de escapar a uma situação intolerável; tais fugas são tipicamente "ordenadas", ao passo que as fugas epilépticas são caracteristicamente "de­sordenadas" .

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.