Estudo diz que trabalhar mais de 40 horas semanais faz mal à saúde

Uma pesquisa realizada pela Agência de Saúde Pública de Barcelona concluiu que trabalhar mais de 40 horas semanais pode causar danos à saúde física e mental, principalmente entre as mulheres.
Uma pesquisa realizada pela Agência de Saúde Pública de Barcelona concluiu que trabalhar mais de 40 horas semanais pode causar danos à saúde física e mental, principalmente entre as mulheres.

O estudo, que será publicado na revista Scandinavian Journal of Work, Environment & Health, analisou 2.792 pessoas de diferentes profissões e classes sociais durante um ano.

Segundo os cientistas, uma longa jornada de trabalho afeta os homens principalmente por meio de distúrbios no sono. No caso das mulheres, isso é mais prejudicial por causa do acúmulo de funções – entre casa e trabalho – e "emocionalmente respondem pior à pressão", tendo sintomas como hipertensão, ansiedade, aumento da probabilidade de fumar, restrição de outras atividades de ócio e de prática de exercício e uma insatisfação geral, além de distúrbios hormonais.

Chamada "Perspectiva de gênero na análise da relação entre longas jornadas de trabalho, saúde e percepção do próprio estado de saúde", a pesquisa mostrou que os homens têm cargas horárias maiores: 30,4% deles contra 17,1% das mulheres. Porém, estas dividem mais o tempo entre as tarefas domésticas e o trabalho fora de casa: 34,4% contra 9,2% de homens.

O estudou também revelou que as mulheres de classe mais baixas são as que trabalham mais horas, enquanto no caso dos homens é o contrário. Quanto mais alto o cargo de responsabilidade e o status salarial, maior é a carga horária. Além disso, descobriu-se que as mulheres separadas e divorciadas tripicam as horas de trabalho comparadas aos homens no mesmo estado civil.

Notícia retirada da fonte:

Estadão Online

Por Carla Destro para RedePsi

Comments are closed.