drogas, abstinência das

Abstinência é o termo empregado para as reações psicológicas e fisiológicas adversas, quando ocorre interrupção abrupta da droga produtora de dependência.
É muito importante distinguir a abstinência de rebote, pois estes termos são freqüentemente confundidos, porque ambos estão relacionados às alterações químicas que fazem a mediação da dependência.
Rebote é o que acontece quando a dependência ocorre em pacientes que tomam a droga por indicação médica, e então essa droga é subitamente interrompida. Outros utilizam o termo de síndrome de descontinuidade quando o paciente interrompe a utilização, por exemplo, de um antidepressivo.
Abstinência, por outro lado, é o que acontece quando a tolerância ocorre em indivíduos que abusam da droga, a qual é então repentinamente interrompida, isto é, esses indivíduos desenvolvem sintomas de abstinência que freqüentemente são o desejo ardente de obter a droga, disforia e sinais de hiperatividade do Sistema Nervoso Simpático.
O termo dependência, muito utilizado com os psicofármacos, não se restringe a eles, sendo encontrado em muitos medicamentos anti-hipercinéticos, em hormônios etc.
Os anti-hipertensivos, por exemplo, são capazes de produzir hipertensão de rebote, que é pior do que a elevação original da pressão arterial, quando subitamente suspensos. Tais hipertensos não apresentam efeitos de abstinência, pois seus sintomas são a manifestação exagerada de sua condição original, e não um novo conjunto de sintomas, tais como o desejo imperioso pela droga ou a disforia.
Já pacientes que tratam ataques de pânico, quando suspendem os benzodiazepínicos, podem apresentar rebote da doença, e não síndrome de abstinência dos benzodiazepínicos, embora estes também possam causar síndrome de abstinência.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra - Pós-doc em Filosofia Membro do Viktor Frankl Institute Vienna Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.