drogas, intoxicação versus abuso das

O uso permitido das drogas tem sido sempre definido dentro do contexto cultural, diferindo, portanto, no tempo e no espaço para cada população. Além disso, a aceitação do uso de drogas tende a variar à medida que as culturas mudam, com o passar do tempo. Uma conseqüência do uso equivocado das drogas é a intoxicação, que é caracterizada por alterações psicológicas ou comportamento inadaptado, clinicamente significativos, devido às ações psicofarmacológicas da droga sobre a neurotransmissão. Os sintomas da intoxicação incluem estado alterado da consciência, beligerância, labilidade de humor, déficit cognitivo e da capacidade de julgamento e prejuízo das funções sociais ou ocupacionais.
Quando a droga é utilizada, por convenção, por um período de 12 meses e de maneira que produza sofrimentos ou prejuízo clinicamente significativos, isso recebe o nome de abuso.
Em nossa cultura apresenta-se dificuldades para definir o uso equivocado das drogas ilícitas e das drogas "legalizadas", tais como o álcool e o cigarro, e até para definir a má utilização das drogas prescritas por especialistas. Por um lado, nossa sociedade não aprova e criminaliza a obtenção e a venda de drogas na "rua", isto é, sem prescrição médica. Isso se aplica especialmente a opiáceos, estimulantes, alucinógenos e sedativos.
Tampouco existe consenso sobre a linha divisória entre a utilização correta e equivocada de algumas drogas de prescrição médica, como anfetaminas, hipnóticos e ansiolíticos, mesmo quando utilizados dentro dos critérios de prescrição do especialista.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra - Pós-doc em Filosofia Membro do Viktor Frankl Institute Vienna Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.