A Equoterapia como alternativa terapêutica para crianças

Introdução

Tendo em vista o aumento de comentários e exposição na mídia sobre os distúrbios que afetam a infância e, invariavelmente prejudicam a educação, achou-se interessante apresentar em um trabalho, as formas de dificuldades que acometem nossas crianças e relacionar isto à moderna Equoterapia. A equoterapia constitui um tratamento complementar de apoio a pessoas especiais, portadoras de dificuldades ou deficiências físicas e/ou psicológicas.

Palavras-chave: Equoterapia, Abordagem Terapêutica, Equipe multiprofissional, deficiências e distúrbios na infância

A Equoterapia obtém excelentes resultados com quadros de paralisia cerebral, atraso no desenvolvimento neuropsicomotor, síndrome de Down e outras síndromes, lesão medular, dificuldades da aprendizagem ou linguagem, hiperatividade, autismo, depressão, stress, entre muitos outros.

É um tratamento aplicado por uma equipe multiprofissional (como por exemplo: neurologista, fisioterapeuta, psicólogo, fonoaudiólogo, pedagoga, técnico de montaria, etc) especializada para lidar com o cavalo, o contexto e as apresentações clínicas tratadas.

As principais conquistas da equoterapia são o desenvolvimento da auto-confiança, segurança, disciplina, concentração e bem-estar do paciente. A prática eqüestre favorece ainda a sociabilidade, uma vez que integra o praticante, o cavalo, e os profissionais envolvidos.

Relacionando tais fatores ao tema da hiperatividade, desatenção, dificuldade de aprendizagem e linguagem nas crianças e adolescentes, a equoterapia demonstrou ser excelente alternativa para desenvolver as potencialidades, concentração e disciplina dos pacientes que tiveram acesso a essa terapêutica.

Este pequeno artigo foi publicado pela Revista da ANDE sob o titulo: “A Equoterapia como alternativa terapêutica para crianças 'agitadas'”. Revista Equoterapia, ANDE BRASIL, N º 12, Dezembro 2005

Comments are closed.