Comportamento

Nem sempre o comportamento está ligado ao movimento. O indivíduo poderá apresentar um comportamento de imobilidade, como na reação de freezer de um rato ante um gato, ou, na espécie humana, de um estupor catatônico. Quando há deslocamento motor mio-esquelético, de partes ou de todo um organismo, este comportamento poderá ser por reflexo ou por automatismo primário, ambos instintivos, inconscientes e involuntários. O comportamento é próprio dos animais não-humanos. Na espécie humana, com o advento da consciência, este comportamento transforma-se em conduta, que implica uma intencionalidade deliberada pela vontade. Existem situações anormais ou, mesmo, patológicas em que o ser humano poderá apresentar uma reação primitiva com um comportamento em curto-circuito, ou ato simples, o qual não passa pela consciência. É inconsciente e involuntário. Representa um movimento regressivo, para padrões evolutivos primitivos em relação ao ser em questão. Não raro o ato em curto-circuito libera grande agressividade resultando em delito. Poderá haver amnésia no agente do sucedido. Perante a lei poderá ser inimputável.

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.