Fármaco homeopático versus Número de Avogadro

O que é o fármaco homeopático mais além do Número de Avogadro?

Esta pergunta tem sido a responsável por muitos dos ataques que se fazem à homeopatia. Ainda que não exista uma resposta completa­mente satisfatória, há evidências importantes que inquietam mais aos detratores que aos próprios prati­cantes da Homeopatia. Revisemos alguns dos achados nessa questão.

1. O que resta normalmente de um soluto que em concentrações abaixo de 1M (solução 1 molar) se dilui mais de 23 vezes em proporção 1-10 (decimal), ou 13 vezes em proporção 1-100 (centesimal), tendo como solvente álcool etílico a 87º GL?

A resposta imediata é que só resta solvente.

2. Como estarão as propriedades físicas desse solvente?

A resposta é: deverá ter as propriedades físico-quí­micas normais (estado de agregação, índice de evaporação, veloci­dade de condução, fluorescência etc.) É conveniente dar algumas explicações para entender melhor estes fatos.

Estado de agregação

Como recordação, diremos que os estados físicos gerais da matéria são líquido, sólido e gasoso os quais se devem principalmente à mobilidade vibracional que têm as partícu­las, sendo mais livres no estado gasoso e menos no estado sólido; mas ainda neste último têm mobi­lidade.

Contudo, nesses estados da matéria existem formas de agregação, isto é, as formas como se organizam as partículas que constituem a substância; o exemplo mais claro disto é a forma de agregação distinta que tem é o carbono em seu estado sólido e que pode ser grafite ou diamante nas quais obviamente ambas são carbono, mas cada uma com características diferentes.

Estas formas de organi­zação proporcionam para ambos os compostos entropias (graus de desordem) diferentes; na grafite a entropia é maior que no diamante.

A entropia tem sido mal interpre­tada, desde que Clausius utilizou o termo grego tropé, que significa "rotação", ou centro de rotação e lhe acrescentou o prefixo "en" para igualá-lo com energia, ou entalpia (expressões usadas em termodinâmica), o que traz confusão, já que a torna unidi­recional sendo que a entropia é bidirecional, vale dizer, uma direção positiva (desordem) e outra negativa (ordem) que permite entender a or­dem do ser vivo, sem dizer que se quebram ou não se cumprem as leis naturais.

Portanto distintos estados de agregação terão diferentes graus de or­dem e valores de entropia que nos organismos e sistemas eco­lógicos transitoriamente será nega­tiva.

Se a isso acrescentarmos a teoria unitá­ria da combinação química que engloba as valências: iônica, metálica, covalen­te, dativa, heteropolar, retrocoor­denada, Van der Waals, hidrógena etc., em uma só forma que considera que a combinação química se deva aos elétrons mais que aos átomos, en­tendemos que possam existir muitas formas de agregação em um com­posto, mesmo que às vezes sejam fugazes.

Nas preparações chamadas tinturas (homeopáticas), encontra­mos substâncias em concentrações abaixo de 1M dissolvidas em água e álcool; em seguida, se diluem sucessi­vamente colocando uma parte em 99 partes de álcool até ultrapassar o Número de Avogadro. Chega-se a ma­nipular diluições que matematica­mente correspondem a 1 x 10-60 = (30CH) ou 1 x 10-400 = (200CH) defini­tivamente muito além do Número de Avogadro que, como sabemos, é igual a 6,023 x 1023.

Afinal, o que temos nesses medicamentos homeopáticos?

Teoricamente devem existir somente água e álcool, e por isso mesmo devem ter as mesmas propriedades que antes, como elementos iso­lados (água e álcool).

Mas isso não acontece, pois esta água e este álcool, como medicamento homeopático modifica sensivelmente suas propriedades físi­cas. Diferentes estudos realizados o demonstram. Observou-se que distintos medicamentos em diferentes concentrações, conduzem a eletricidade em distintas velocidades. Por outro lado, vários autores reportam ha­ver encontrado modificações nos índices de evaporação dos me­dicamentos, nas altas dinamizações. Foi encontrado, no México e nos USA, que o espectro de Ressonância Nuclear Magnética de distintas dina­mizações, acima do Número de Avogadro, em lugar de corresponder – como era de se esperar – ao espectro da água e do álcool, é totalmente distinto e, além disso, se modifica em cada nova dinamização.

Com a mesma tecnologia, ainda que com metodologia diferente, no Cen­tro de Investigação e Estudos Avançados (CIEA) do I.P.N., no México, foi estudado o espectro de R.M.N. de Aloxana 12CH e 30CH, a primeira no limite do Número de Avogadro e a outra defini­tivamente muito além dele, às quais se evapo­rou a água e o álcool e o "resíduo" foi redissolvido com cIorofórmio marcado com deutério;  buscou-se o espectro de carbono, o qual mostrou ausência total dos mesmos, mas ao buscar o espectro dos prótons, estes apareceram, com o que se conclui que a ativi­dade energética adquirida ou desenvolvida no solvente e responsável pela ação medicamentosa é transmi­tida ao novo solvente.

Se considerarmos que o homem, igualmente que na maioria dos organismos, é constituído por 70% de água e 30% de sólidos, em média, podería­mos dizer que no aspecto físico somos uma solução a 30%. Entretanto em uma solução com uma entropia nega­tiva tal, que nos converte em um ser dinâmico que mantém uma harmonia entre os sistemas energéticos de to­dos os seus componentes de tal forma que oscila dentro de uma homeosta­se. Esta faz frente aos agentes agressores do meio, sejam estes de qualquer natureza, e quando este dinamismo sofre alguma alteração (a maioria das vezes invisível), a ma­nifesta com sinais e sintomas que nos permitem selecionar o medica­mento único (Similimum ou Similar) capaz de retornar ao estado de saúde.

Retomaremos essa questão quando analisarmos a memória da água.

Revisão de Volume molar e número de Avogadro­

­

No desenvolvimento histórico da Química, depois de determinadas as massas atômicas e moleculares, os químicos notaram que uma molécula-grama de qualquer substância ocupava o mesmo volume, quando no estado gasoso e na mesma temperatura e pressão; os resultados experimentais mostravam que o referido volume, quando medido a 0°C e 1 atmosfera (760mm de Hg), era de, aproximadamente, 22,4 litros.

Exemplos:

Molécula-Grama                                                          Volume a 0ºC e 1 atm

2g de H2                                                                     22,4 litros

32g de O2                                                                   22,4 litros

48g de O3                                                                   22,4 litros

16g de CH4                                                                 22,4 litros

30g de C2H6                                                                22,4 litros

17g de NH3                                                                                        22,4 litros

Verificado que uma molécula-grama de substância ocupa o mesmo volume, quando no estado gasoso na mesma tempera­tura e pressão, os químicos concluíram baseados na hipótese de Avogadro, que uma molécula-grama de substância contém o mesmo número de moléculas.

Esse número foi chamado Número de Avogadro ou Número de Avogrado-Loschmidt. O químico alemão Loschmidt determinou pela primeira vez o número de moléculas contidas em 1cm3 de gás a 0°C e 1 atm, encontrando o valor 2,7 x 1019.

Como já era conhecido o valor do volume molar em cm3, determinado o número de moléculas contidas em 1cm3 de gás a 0°C e 1 atm, estava determinado o número de moléculas contidas em uma molécula-grama de subs­tância, isto é, 22.400 x 2,7 x 1019 = 6,023 x 1023.

Resumindo:

Volume molar é o volume ocupado por uma molécula-grama de substância. Seu valor é constante no estado gasoso na mesma tempera­tura e pressão; esse valor constante é de 22,4 litros a 0ºC e 1 atm.

Número de Avogadro é o número de moléculas contidas em uma molécula-grama de substância. Seu valor é de 6,023 x 1023.

Como conseqüência imediata do fato de uma molécula-grama de substância conter igual número de moléculas, ou seja, 6,023 x 1023, os químicos concluíram que um átomo-grama de qualquer elemento  químico contém igual número de átomos, ou seja, 6,023 x 1023.

Assim, 16 gramas de oxigênio, quer sob forma de oxigênio comum (O2), quer sob forma de ozona (O3) contêm 6,023 x 1023 átomos do elemento químico oxigênio; 12 gramas de carbono, quer sob a forma de diamante, quer sob a forma de grafite, contêm 6,023 x 1023 átomos do elemento químico carbono; 35,5 gramas de cloro contêm 6,023 x 1023 átomos do elemento químico cloro; e assim por diante.

Conceito moderno de mol

Até há pouco tempo a palavra mol era empregada apenas como um sinônimo de molécula-grama. Atualmente, o conceito de mol é muito mais amplo, pois, além de representar uma molé­cula-grama de substância, representa também um número; nú­mero esse igual ao de moléculas contidas em uma molécula-­grama de substância, isto é, o número 6,023 x 1023.

De acordo com o novo conceito de mol, concluímos que:

a) um mol de moléculas são 6,023.1023 moléculas

b) um mol de átomos são 6,023.1023 átomos

c) um mol de íons são 6,023.1023 íons

d) um mol de elétrons são 6,023.1023 elétrons

e) um mol de prótons são 6,023.1023 prótons

f) um mol de nêutrons são 6,023.1023 nêutrons

g) um mol de partículas alfa são 6,023.1023 partículas alfa

h) um mol de radicais são 6,023.1023 radicais

i) um mol de laranjas são 6,023.1023 laranjas

j) um mol de bananas são 6,023.1023 bananas

k) um mol de reais são 6,023.1023 reais etc., etc.

Tendo em vista o conceito moderno de mol, a molécula­-grama pode ser definida de duas maneiras:

a) Molécula-grama de uma substância é a massa desta substância igual à sua massa molecular tomada em gramas.

b) Molécula-grama de substância é a massa de um mol de moléculas de substância.

Tendo em vista o novo conceito de mol podemos definir átomo-grama de duas maneiras:

a) Átomo-grama de um elemento é a massa desse elemento igual à sua massa atômica tomada em gramas.

b) Átomo-grama de um elemento é a massa de um mol de átomos desse elemento.

Em outras palavras, podemos, ainda, dizer: a) uma molécula­-grama de uma substância contém um moI de moléculas dessa substância; b) um átomo-grama de um elemento contém um moI de átomos desse elemento.

Assim, um mol de água representa: a) 18,0140 gramas (massa) de água; b) 6,023.1023 (número) moléculas de água Do mesmo modo, um átomo-grama de oxigênio representa: a) 15,9994 gramas (massa) de oxigênio; b) 6,023.1023 (número) átomos de oxigênio.

Atualmente, a maioria dos autores preferem o uso da expressão "mol de átomos" em substituição à expressão" átomo-grama".

About Adalberto Tripicchio

Psiquiatra – Pós-doc em Filosofia
Membro do Viktor Frankl Institute Vienna
Docente da BI Foundation FGV/Berkeley

Comments are closed.