Estudo relaciona ronco a bicho de estimação na infância

Uma pesquisa do hospital universitário de Umeå, na Suécia, em colaboração com outras instituições nórdicas, sugere que o hábito de roncar pode estar relacionado à convivência com bichos de estimação na tenra infância.
Uma pesquisa do hospital universitário de Umeå, na Suécia, em colaboração com outras instituições nórdicas, sugere que o hábito de roncar pode estar relacionado à convivência com bichos de estimação na tenra infância.

Entre os fatores ligados ao ronco, os cientistas citaram infecções graves das vias respiratórias e incidência freqüente de otite (inflamação no ouvido) antes dos dois anos de idade, exposição à convivência com um cão logo quando recém-nascido e ter sido criado em uma família grande.

Tais fatores foram estabelecidos independentemente um do outro, através de um questionário aplicado a quase 16 mil pessoas na Suécia, Noruega, Islândia, Dinamarca e Estônia. Entre ela, 18% reportaram "ronco habitual", definido como alto e incômodo pelo menos três vezes por semana.
Os voluntários proveram detalhes de sua infância, que foram recolhidos e analisados pelos pesquisadores. Segundo o estudo, cerca de 16% dos homens e 7% das mulheres de meia idade roncam habitualmente, o que pode gerar sonolência durante o dia e elevar os riscos de doenças cardiovasculares.

Os pesquisadores sugerem que as novas pesquisas sejam realizadas seguindo esta linha – até agora pouco explorada – para prevenir o ronco ainda na infância.

Notícia retirada da fonte:

BBC Brasil

Comments are closed.