Estudo mostra crescimento do uso de remédios infantis para doenças crônicas

Um levantamento publicado na Pediatrics mostrou que o uso de remédios para doenças crônicas em crianças e jovens cresceu muito nos últimos anos nos Estados Unidos.
Um levantamento publicado na Pediatrics mostrou que o uso de remédios para doenças crônicas em crianças e jovens cresceu muito nos últimos anos nos Estados Unidos.

Foi avaliado o uso de drogas para hipertensão, diabetes tipo 2, asma, dislipidemia (colesterol alto), TDAH (transtorno de déficit de atenção e hiperatividade) e depressão. Houve aumento em todos os índices. Foram utilizados dados dos anos de 2002 a 2005, referentes a 3,5 milhões de pessoas entre 5 e 19 anos de idade.

Para Isabel Rey Madeira, presidente do departamento científico de pediatria ambulatorial da Sociedade Brasileira de Pediatria, embora não haja estudo similar no Brasil, a impressão é a de que a tendência também seja de aumento.

No período analisado, a prevalência do uso de remédio para diabetes tipo 2 dobrou – devido principalmente ao aumento de 166% em meninas de 10 a 14 anos e de 135% nas de 15 a 19 anos.

O consumo de drogas para depressão também subiu mais entre elas do que entres eles (7% e 4%, respectivamente). O mesmo ocorreu no uso de remédios para TDAH (63% e 33%) – entre as jovens de 15 a 19 anos, a medicação cresceu 114%.

O uso de remédios para asma subiu 46,5%. Para dislipidemias, 15%. O crescimento foi menos acentuado no caso dos anti-hipertensivos (1,8%).

Para Madeira, os dados podem decorrer da epidemia de obesidade, que eleva a incidência de doenças e deixa os médicos alertas ao diagnóstico. No caso do TDAH, porém, ela lembra que é discutida a chance de excesso de diagnósticos.

Notícia retirada da fonte:

Folha Online

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.

,

Comments are closed.