A claustrofobia enquanto perturbação histérica

Na sequência do meu trabalho em artigo intitulado A agorafobia enquanto perturbação obsessiva (Resende, 2008), publicado aqui na Rede Psi, desenvolvo agora, neste artigo, o conceito da claustrofobia enquanto perturbação histérica.
Na claustrofobia, todos os referenciais estão presentes, todos os pontos de referência estão presentes e sentidos como perto de mais. Ora, o obsessivo lida bem com isso. Já o histérico terá dificuldades em lidar com relações com o mundo exterior de tipo obsessivo, e nessas situações de excesso de referências, nessas situações claustrofóbicas, entra em descompensação histérica. Isto, considerando as delineações de Bergeret (1997) acerca das estruturas de personalidade histérica e obsessiva.

Por outro lado, a relação da histeria com a claustrofobia é mais profunda ainda. Hister no étimo significa útero, está relacionado com este último. Nesta relação, é mais fácil perceber a relação entre a histeria e a claustrofobia, pois é como se o útero fosse um claustro. É como se o bebé no útero desenvolvesse um protótipo de relações claustrofóbicas, o qual caracteriza-se por sentimentos de estar perto demais de algo, que posteriormente é de mais fácil lide pelo obsessivo do que pelo histérico, pelas razões apontadas.

Se por uma lado, temos o homem como mais tipicamente obsessivo e a mulher como mais tipicamente histérica, supõe-se aqui, que o desenvolvimento intra-uterino do rapaz será de melhor qualidade do que o desenvolvimento intra-uterino da rapariga.

Ainda por outro lado, o obsessivo tenderá a ser menos extrovertido, tenderá a procurar menos o contacto com os os outros, explicando isso, então, por um sentimento mais prazeiroso e de melhor qualidade na vida intra-uterina.

Esta, para o histérico, tenderá a ser de menor qualidade, com necessidade ou sentimento de se desenvolver para além do útero, devido aos sentimentos claustrofóbicos, e tenderá, posteriormente, a procurar mais os outros, a tentar procurar estar com os outros.

As características descritas são, como é de ver, coerentes com as características do histérico e do obsessivo.

Ou seja, num exemplo ilustrativo, se se quiser alguém para viajar nas naves espaciais, estadias de longa duração no espaço e futuras missões espaciais de longa duração, dever-se-à seleccionar astronautas de personalidade obsessiva, e se se quiser alguém para as caminhadas espaciais, dever-se-à seleccionar astronautas de personalidade histérica.

Bibliografia

Bergeret, J. ( 1997 ). A personalidade normal e patológica ( tradução portuguesa ). Climepsi Editores

Resende, S. ( 2008 ). A agorafobia enquanto perturbação obsessiva in www.redepsi.com.br em secção Artigos/ Teorias e Sistemas no Campo Psi em 02/12/2008

About Sérgio Miguel Ramos Duarte Fortes Resende

Comments are closed.