Cérebros de homens e mulheres apreciam arte de forma diferente, diz estudo

Homens e mulheres podem ter gostos artísticos semelhantes, mas seus cérebros apreciam a arte de maneira diferente, segundo um estudo de pesquisadores na Espanha e nos EUA. A diferença aparece quando os dois sexos julgam uma imagem bonita.
Homens e mulheres podem ter gostos artísticos semelhantes, mas seus cérebros apreciam a arte de maneira diferente, segundo um estudo de pesquisadores na Espanha e nos EUA. A diferença aparece quando os dois sexos julgam uma imagem bonita.
Os cientistas especulam que isso seria causado pelo modo diferente como os cérebros masculino e feminino processam informações espaciais. A diferença teria surgido na Pré-História, quando os homens caçavam e as mulheres coletavam frutos e plantas.

A equipe de pesquisa descobriu que neurônios no cérebro feminino estavam ativos nos dois hemisférios cerebrais quando analisavam o "belo", enquanto que o cérebro masculino só ativava o lado direito.

O estudo foi feito pelo grupo liderado por Camilo J. Cela-Conde, da Universidade das Ilhas Baleares, em Palma de Maiorca, com 20 voluntários.

Eles tinham de examinar conjuntos de fotografias de quadros ou de cenas naturais e decidir se eram belos ou não. Para registrar a atividade do cérebro eles usaram a magnetoencefalografia. Essa técnica detecta mudanças nos campos magnéticos gerados pela atividade dos neurônios.

"A capacidade de apreciar a beleza é um dos traços mais notáveis da nossa espécie. Embora o conhecimento sobre seus correlatos neurais esteja crescendo, pouco se sabe sobre diferenças ligadas a gênero", escreveram os pesquisadores em artigo no periódico "PNAS".

"Nossos resultados revelam atividade diferente entre os sexos em regiões parietais quando os participantes julgavam o estímulo como bonito. Atividade nessa região foi bilateral nas mulheres e lateralizada no hemisfério direito nos homens", afirmam Cela-Conde e colegas.

O córtex parietal direito está associado com a atenção visual global e o esquerdo com a atenção local. "Talvez as mulheres usem características tanto globais quanto locais ao fazer seus julgamentos, enquanto que os homens dependam apenas em características globais", escreveram os cientistas.

Eles acreditam que a explicação esteja na chamada "hipótese caçador-coletor de diferenças espaciais sexuais", segundo a qual as diferenças em habilidades espaciais derivam da divisão de trabalho. Caçar exige uma boa orientação em relação a objetos que entram e saem do campo visual, enquanto coletar demanda reconhecer e lembrar detalhes de conjuntos de objetos e a relação entre eles.

Fonte: Folha Online

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.

Comments are closed.