Esperar exame de saúde estressa tanto quanto resultado alterado, diz estudo

Esperar pelo resultado de um exame pode ser tão estressante quanto receber um resultado ruim, afirma um estudo publicado na edição deste mês da revista "Radiology". Os pesquisadores, das universidades Harvard e Iowa, nos Estados Unidos, avaliaram o nível de cortisol (hormônio relacionado ao estresse) em mulheres que foram submetidas a biopsia para câncer de mama.

Esperar pelo resultado de um exame pode ser tão estressante quanto receber um resultado ruim, afirma um estudo publicado na edição deste mês da revista "Radiology". Os pesquisadores, das universidades Harvard e Iowa, nos Estados Unidos, avaliaram o nível de cortisol (hormônio relacionado ao estresse) em mulheres que foram submetidas a biopsia para câncer de mama.

Durante cinco dias, foram coletadas quatro amostras de cortisol na saliva de 126 pacientes com idade entre 18 e 86 anos. No quinto dia, elas foram divididas entre aquelas cujo diagnóstico ainda era incerto, aquelas que receberam resultado negativo para tumor maligno e as que descobriram que têm câncer.

No grupo que não havia sido informado sobre o seu diagnóstico, o nível de cortisol foi similar ao apresentado por mulheres que tinham resultado positivo para câncer. As mulheres que tiveram resultado benigno apresentaram nível mais baixo do hormônio.

"A pesquisa indica a necessidade de uma comunicação mais rápida dos resultados de biopsias", escrevem os pesquisadores na conclusão do trabalho. Segundo eles, o estresse pode exercer um impacto negativo no sistema imunológico e na cicatrização.


Antecipação

De acordo com a farmacêutica Dora Grassi Kassisse, responsável pelo Laboratório de Estudo do Estresse da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), a simples expectativa de uma notícia ruim é suficiente para desencadear toda a reação do estresse, que envolve não apenas o cortisol mas também hormônios como a adrenalina e a noradrenalina.

Se uma pessoa for assaltada em um sinal de trânsito, por exemplo, pode ter as mesmas reações só de voltar a esse lugar futuramente. Ainda que não aconteça um novo assalto, seus batimentos cardíacos podem se acelerar e pode haver aumento na secreção gástrica no estômago, entre outras manifestações. "É o que chamamos de evento antecipatório. No caso dos exames, fica uma dúvida no ar. A pessoa fica pensando o que vai ser da vida dela se o resultado se confirmar, como será o tratamento", diz.

Kassisse afirma que o estresse pode ser muito danoso para o organismo, mas seus principais impactos costumam acontecer a longo prazo. Hipertensão, úlcera, insônia e depressão são alguns problemas que podem acometer pessoas que estão submetidas a situações de estresse constantemente.

Fonte: Folha Online

Comments are closed.