O princípio geral do organismo integrado

Temos de Humphrey, a base de nosso principio geral.

¨Pode-se dizer que o organismo se comporta como um intricado sistema  de processos materiais, tendendo ativamente a manter um padrão completo sob condições em constante mudança¨(Humphrey, pág 41)

Assim, com esta proposição ele nos dá a orientação necessária a uma verificação, mais adequada do nosso funcionamento, produzindo assim nosso primeiro principio.

O organismo é um tipo de sistema, que encontra no mundo inorgânico, equivalências, independe de possuir propriedades únicas e uma integração peculiar, pois a tendência conservadora que possui, é verificada em toda totalidade da realidade em múltiplas e variadas expressões.

Assim não podemos considerar o organismo, uma ¨entidade¨ independente, este para existir como tal, necessita de um ¨meio¨, em que inserido, interage, continuamente, o que resulta em um sistema, entre organismo e meio, formando, com a integração de suas respectivas propriedades, uma relação de dependência, originando, assim as características que cada um expressa.

Qualquer perturbação que afete o equilíbrio desta relação resultará em adptações por parte do organismo, que produzirão ajustes em seu meio atuante, com o objetivo de restabeler a integração funcional da totalidade, que anteriormente ocorria.

O que ocorre é que o organismo assimila e integra a totalidade desta experiência, como se fosse o restabelecimento do equilíbrio, somente em sua estrutura (não tem consciência direta do ajustes que o meio sofre ocasionados pela relação…), isto produz estabilidade a unidade orgânica, que leva a uma diferenciação com o meio atuante (esta diferenciação e a força ¨motriz¨ do ego maduro e atuante…).

Assim temos então um sistema, que em sua ação, não procura só conservação e desenvolvimento, é a expressão da própria evolução conhecida.

A identidade de um organismo, a nós aparentemente se apresenta, distante da matéria inerte (principalmente se analisarmos, seus aspectos físicos e diretos, que são os fenômenos produzidos fenomenologicamente)… Mas a vida como conhecemos, não é expressa só pela matéria, ou sua forma.

Uma unidade espaço-tempo da forma em seu desenvolvimento e mudança, que ocorre gradualmente, em um longo e único evento, condicionado pelas mudanças no meio externo, ao mesmo tempo, regulados internamente, pelas múltiplas variações orgânicas ocorrentes, e isto ocorre com todos os eventos  de nossa experiência, que possui quatro dimensões (três de espaço e uma de tempo).

Assim, os novos equilíbrios que os sistemas orgânicos estabelecem dependem das perturbações a que os antigos estão expostos, consequentemente, podemos esperar que é a possibilidade de perturbações e as atuações variadas, sobre o organismo, e as continuas adptações necessárias para o restabelecimento dos equilíbrios, e que irão produzir a transição entre o subumano e o humano.

Referências

-G.HUMPHREY.1933/The nature of learning in relation to the living system

.-WOLFGANG KOHLER. 1947/ Psicologia da Gestalt

KURT KOFKA.1935. Princípios da Psicologia da Gestalt

Comments are closed.