O Self Atuante

-Efeitos diretos e indiretos.-Tensões e exigências.
-Características.

Basicamente, toda ação é uma resultante que busca aliviar o organismo, de tensões existentes que ultrapassa sua capacidade habitual.

Assim podemos definir o self, como o mecanismo que abrange todas as possibilidades que a ação (em forma de comportamento dirigido…) pode se expressar para tensão ser descarregada.

Mas nem todo alivio das tensões acumuladas é uma ação física, expressa em comportamento, a interação sensorial organizada e orientada, em suas múltiplas variações (poesia, lógica, fantasia…), é uma forma variada desse mecanismo que frequentemente é usada, principalmente quando a necessidade não pode ser diretamente satisfeita.

A ação ocorre, em campos internos abstratos internos ¨seguros¨, reduzindo as tensões dentro desses campos frequentemente, na forma de fantasias variadas relacionadas com a situação de eventos totais (voltaremos a este assunto quando estudarmos os processos de pensamento…).

Na maioria dos casos, o self levará ao alivio das tensões acumuladas, produzindo movimentos integrados gerais pelo corpo, ou em partes deste.

Sendo o self, em todos os casos, o mecanismo orientador-organizador que atuará como a força integradora que manterá o organismo e o seu meio comportamental como um sistema unitário.

A característica principal do self é seu efeito continuo e constante que busca sempre facilitar a organização sensorial do organismo, frente as freqüentes mudanças que este sofre de seu contato no interagir com as propriedades do meio externo total.

Varias de suas funções assim são passiveis de verificação que atuam direta ou indiretamente no organismo, pois o desempenho motor pode ao ser expresso ter efeitos indiretos (ou secundários…), o que às vezes ocorre através de uma mudança de fixação do alvo, o que acarretaria transformações na organização total da ação e consequentemente o alivio das tensões acumuladas sem que o organismo tivesse que entrar em contato diretamente, com alguma ameaça a qual ¨tema¨ e que esteja vinculada diretamente em seu meio comportamental.

Em resumo, existem provas suficiente para sustentar a hipótese, de que, em tais casos, um ou mais sistemas do ego, são diretamente afetados, pela ação do self, o que levaria a mudanças de orientação-organização deste, e consequentemente a uma reestruturação total do sistema atuante no imediato (organismo-meio comportamental…), levando assim a teoria de Lewin da relação recíproca entre um caráter exigente e uma necessidade ocorrente, diz ele:

¨Num certo grau, as duas proposições: ¨isto ou aquilo precisa existir¨ e ¨esta ou aquela gama de objetos possui um caráter exigente em relação a estas ou aquelas ações¨, são equivalentes¨(1926 a, pág 353).

A forma mais fácil de percebermos toda a questão ocorre em uma situação freqüente e usual de nosso cotidiano.

Toda grande mudança na vida de uma pessoa, quando ela alcança seus objetivos, ou os ¨perde¨,leva a uma desorientação de sua ação dirigida ao meio comportamental que, agora existe sem propriedades com o qual estava habitualmente acostumado.

O que ocorre ocasionado pelas novas características que se expressam ao organismo com origem em seu meio comportamental ¨externo¨, coisas que eram indiferentes se tornam atraentes, ou desagradáveis, tranqüilizantes ou ameaçadoras e assim por diante.

*Rêferencias

-W.KOHLER, 1929/GESTALT PSYCHOLOGY (N.YORK-LONDRES)

-I.HUANG, 1931/CHILDREN¨S EXPLANATIONS OF STRANGE PHENOMENA (PP63-180)

-C.C.PRATT, 1933/TIME ERROR IN PSYCHOPHYSICAL CAUSALITY (PP292-297)

Comments are closed.