Pesquisador estuda a relação entre a inteligência e o câncer

A alta incidência de câncer poderia ser o preço pago pelo Homo sapiens pelas vantagens cognitivas de seu cérebro. Trata-se apenas de uma hipótese, que ainda não pode ser comprovada, mas que é discutida pelo pesquisador John McDonald, diretor da Faculdade de Biologia do Instituto de Tecnologia da Georgia, Estados Unidos, na próxima edição da revista Medical Hypothesis.

A alta incidência de câncer poderia ser o preço pago pelo Homo sapiens pelas vantagens cognitivas de seu cérebro. Trata-se apenas de uma hipótese, que ainda não pode ser comprovada, mas que é discutida pelo pesquisador John McDonald, diretor da Faculdade de Biologia do Instituto de Tecnologia da Georgia, Estados Unidos, na próxima edição da revista Medical Hypothesis.

McDonald se diz intrigado pelo fato de os chimpanzés terem muito menos câncer que os seres humanos, razão que o levou a estudar os padrões de expressão gênica nas duas espécies, em órgãos como cérebro, rins, coração, testículos e fígado. Os resultados mostraram que os mecanismos de apoptose (morte celular programada), que estão na origem dos tumores malignos, são bem mais eficientes nos nossos parentes primatas. “Acreditamos que essa diferença possa ter evoluído como uma forma de aumentar o tamanho do cérebro humano e suas habilidades cognitivas”, escreveu o autor.

Mcdonald reconhece que, como toda hipótese evolutiva, não será fácil confirmar esta associação, mas afirma que seu laboratório está empenhado em novos experimentos que irão explorar mais a fundo os mecanismos da apoptose em humanos e outros primatas.

Fonte: Mente & Cérebro

Comments are closed.