Em Goiás jovem morre após ritual religioso

O estudante Fernando Henrique Queiroz Tavares 19a de Gestão Ambiental da Pontifícia Universidade Católica de Goiás morreu na manhã de Domingo quando participava de um ritual realizado com o "propósito de promover o crescimento espiritual, o encontro com Deus e a melhoria do ser humano."

O estudante Fernando Henrique Queiroz Tavares 19a de Gestão Ambiental da Pontifícia Universidade Católica de Goiás morreu na manhã de Domingo quando participava de um ritual realizado com o "propósito de promover o crescimento espiritual, o encontro com Deus e a melhoria do ser humano."

 

17/11/2009

Chamado "Ritual de Encantamento dos Sonhos" é o nome dado ao Ritual. Realizado pela Instituição de Xamanismo Céu de Krishina, em uma chácara em Senador Canedo.

Durante o evento, além de assistir à palestra, ouvir músicas e permanecer próximos a uma fogueira, os participantes, tomaram a bebida indígena conhecida como ayahuasca ou santo daime, preparada a partir da associação do cipó jagube com o arbusto shacronam. O estudante era portador da síndrome de Marfan, doença congênita caracterizada por membros anormalmente longos, que afeta outras estruturas do corpo, incluindo o esqueleto, olhos, pulmões, o coração e os vasos sanguíneos.

A família do jovem registrou a ocorrência da morte súbita no 14º Distrito Policial (DP), em Senador Canedo, mas a princípio não associa a morte repentina à bebida servida no ritual. A família sabia da possibilidade de o filho apresentar rompimento da aorta e ter morte súbita, pois foi orientada pelos médicos . Ela, contudo, não quis dar mais declarações.

Há 3 anos Fernando Henrique começou a participar dos ritos. O coordenador da Instituição Xamãnica Céu da Fraternidade Universal, localizada em Goiânia, Marcelo Henrique Ribeiro Borges, diz que quando se ingressou na entidade Fernando Henrique, ainda adolescente, era dependente químico. "Ele conseguiu abandonar as drogas e tinha muita satisfação em participar dos encontros." Nestes quase quatro anos, conforme disse, Fernando Henrique participou de ritos na capital, em outras cidades do interior e na matriz da instituição, em Pariquera Açu (SP). Em todas elas, conforme Marcelo Borges, o rapaz teria tomado a ayahauasca. Por volta das 2 horas de domingo, servido para cada visitante dois copos com a bebida, de 50 mililitros cada. Cerca de uma hora e meia depois, foi oferecido o terceiro cálice. Fernando Henrique, começou a passar mal por volta das 4h30. Ele reclamou de cansaço e fraqueza e respirava com dificuldade. O jovem dormiu por cerca de uma hora e acordou por volta das 6h30, sem apresentar sinais. Meia hora depois, desfaleceu nos braços do coordenador. O rapaz foi levado para o pronto-socorro de Senador Canedo, onde foi constatada a morte.

Termo de origem Inca, a Ayahuasca é uma bebida sagrada utilizada em rituais de algumas religiões e seitas, como o Santo Daime. Também chamada de Caapi, Yagé, Vegetal, Daime, Hoasca, o nome Ayahuasca significa "vinho das almas".

Há muitas gerações, os Pajés da Amazônia vem utilizando essa bebida para a cura, o encontro direto com espíritos, prever o futuro e mergulhar em seu universo interior e atingir o transe místico. Atualmente, as organizações que se servem da Ayahuasca em sua ritualística são a U.D.V. (União do Vegetal) e o Santo Daime.

Efeitos do Santo Daime

O biomédico toxicologista Romário Gonçalves Vaz explica que o chá do Santo Daime, a ayahuasca, pode provocar alteração do funcionamento da mente, causando alucinações e o desencadeamento de vômitos e diarreias. "O indivíduo fica desidratado, o que pode resultar em baixa da frequência cardíaca", relata. De acordo com Romário, como as substâncias contidas no chá agem no sistema nervoso central, a pessoa que o bebe pode ter crises de pânico e consequentemente aumento da frequência cardíaca, sensação de medo e perda de controle, ou desencadear quadros psicóticos em pessoas portadoras de doenças psiquiátricas como transtorno bipolar e esquizofrenia. Não há um tratamento específico para quem sofre efeitos adversos ao tomar o chá. "O tratamento é sintomático, ou seja, se a pessoa teve um aumento da frequência cardíaca será tratada com um medicamento para esse sintoma e por aí vai", afirma.

Fonte globo.com
Adalberto Tripicchio

Comments are closed.