Enem ocorre no próximo fim de semana; MEC prevê abstenção menor

Uma sensação de "déjà vu" pode estar passando pela cabeça de cerca de 4,1 milhões de pessoas: receber cartão de confirmação, conferir local de prova, fazer as últimas revisões para o exame do final de semana. Parece que isso já aconteceu, não é? Sim, é o Enem de novo.

Uma sensação de "déjà vu" pode estar passando pela cabeça de cerca de 4,1 milhões de pessoas: receber cartão de confirmação, conferir local de prova, fazer as últimas revisões para o exame do final de semana. Parece que isso já aconteceu, não é? Sim, é o Enem de novo.

Prova do Enem exige saber "ler" gráficos e tabelas

O Exame Nacional do Ensino Médio marcado para os dias 3 e 4 de outubro precisou ser adiado para 5 e 6 de dezembro, mas sua estrutura não mudou.

No sábado, são quatro horas e meia para responder a 90 questões, sendo 45 de ciências da natureza e 45 de humanas. O domingo tem uma hora a mais de prova, porque, além das 45 questões de linguagens e das 45 de matemática, há também a redação.

A expectativa do MEC é que a taxa de abstenção, mesmo depois do vazamento e da consequente remarcação da prova, seja inferior à do ano passado, quando chegou a 27,3%.

Em São Paulo, com as desistências de USP e Unicamp de usar o resultado do Enem para compor a nota, as perspectivas não são tão animadoras.

"As coisas estão muito mais mornas agora. Alguns alunos para os quais o Enem não serve mais perderam o interesse em fazer a prova", diz Fábio Rendelucci, coordenador do COC unidade Paraíso.

Entre as públicas paulistas, Unesp, UFSCar, Unifesp e UFABC ainda vão usar a nota do exame de alguma forma.

Sistema unificado

Uma das grandes novidades do Enem neste ano, o sistema unificado permite que alunos de todo o país concorram a vagas das instituições federais participantes do sistema, entre elas a UFABC e a Unifesp (com a maior parte dos seus cursos).

"A ideia é promover um sistema que seja mais unificado e racional na alocação dos alunos. Na verdade, é tentar simular um leilão. Quem tem a nota mais alta tem preferência [pela vaga]", diz Reynaldo Fernandes, presidente do Inep, órgão do MEC que organiza o Enem.

Assim, o sistema vai alocar candidatos nos cursos oferecidos, de acordo com as suas notas e as suas preferências. Depois que todos os alunos forem rankeados e houver desistência em parte das vagas, uma nova rodada acontece para preencher as vagas remanescentes.

Inicialmente, o MEC estava trabalhando com a hipótese de serem cinco rodadas. Mas como o resultado do Enem só sai em fevereiro, já se cogita que sejam apenas três.

Ainda não está decidido quando começam as inscrições no sistema –mas isso só acontece depois de 5 de fevereiro, quando o MEC libera o resultado global do Enem (prova objetiva e redação).

,

Comments are closed.