Os segredos por trás dos rituais de casamento

Todos nós já participamos de festas de casamento e por isso sabemos que a cerimônia é realizada dentro de padrões estéticos. Mas, a realidade não é tão simples assim. Por trás desses processos do casamento existem diversos símbolos que integram essa experiência, desde coisas simples como trocas de alianças à chuva de arroz.

A troca de alianças traz ao casal uma sensação de unificação mais séria do relacionamento. Isso ocorre por conta do simbolismo presente no objeto, que seria basicamente a união dos opostos, o que indica o desenvolvimento de uma vida conjunta. Ao casarmos, entramos em contato com este momento especial que nos remete a um ritual de celebração dos processos da vida, ou seja, passamos por uma ocasião única na qual a vivência simbólica do morrer e renascer se faz presente. É como se ao entrarmos na igreja deixássemos a vida antiga que vivemos até aquele determinado momento para trás, construindo assim a possibilidade de uma nova vida. Dessa forma, nada mais justo do que o pai da noiva acompanhá-la em direção ao altar, que representa essa nova vida.O pai representaria um protetor que visa garantir que a está entregando em boas mãos, permitindo assim que ela cresça e amadureça para a vida. Nesse momento o pai entrega sua filha para um homem, que ela julga ser capaz de amar e protegê-la. Este julgamento ocorre até o ultimo momento do casamento, pelo menos simbolicamente.  Não é por simples acaso que a noiva se atrasa em seu casamento.

A mulher, por uma questão cultural, passou a representar o mistério, porque fisiologicamente os acontecimentos femininos como a menstruação e a gravidez ocorrem dentro do corpo. Por motivos como esses desenvolveu-se no imaginário social a idéia de que a mulher está próxima daquilo que é misterioso. Pode-se inferir que a noiva se atrasa para manter o “ar de mistério” e aparentemente possibilita uma auto-afirmação, que visa fazer com que ela se torne dona de si mesma, como uma mulher dona de seu próprio lar, e não mais como uma filha ou menina.Já o noivo deve aguardar sua esposa no altar, simbolizando um comportamento que tem como função mostrar a todos quem é o dono daquele território, e que sua noiva será uma guia para uma vida completa e feliz, na qual ele poderá assumir um papel provedor, organizador e de segurança do seu próprio lar. Dessa maneira, o encontro representaria a chance que os noivos teriam para entrar em uma nova etapa da vida, a adultez.

O que marca a principio, a formalização da saída da infância e da dependência afetiva e financeira dos pais. Além de possibilitar uma união marcada pela alteridade, onde o casal tem um período para reconhecerem a si mesmos como dois indivíduos com diferenças e semelhanças, tendo em comum o desejo de seguir o mesmo caminho. Nessa nova etapa da vida que iniciamos, temos aqueles que nos trazem os bons votos e a sabedoria da vida, os padrinhos de casamento. Estes geralmente se encontram próximos da meia-idade, e representariam a sabedoria adquirida na vida, estando disponíveis como figuras positivas que apóiam a união do casal.

A finalização deste processo de morte/renascimento se daria quando as alianças fossem trocadas, pois esse importante passo seria uma afirmacao física do pertencimento a um grupo único, que mesmo sendo coletivo, permite um espaço para a individualidade.

Comments are closed.