Teorias exploram a possibilidade de crianças terem mais autonomia na presença dos pais

Uma matéria publicada no livro Early Child Development and Care trás a questão de que quando crianças estão na presença dos pais a tendẽncia é a de se arriscar mais nos mais diversos sentidos. Para explicar esta contingência, duas teorias entram em cena, a da “Ativação” e do “Sentimento de Apego”, que diz, quando uma criança sente-se insegura decorente a algo busca conforto na figura paterna ou materna.

Uma matéria publicada no livro Early Child Development and Care trás a questão de que quando crianças estão na presença dos pais a tendẽncia é a de se arriscar mais nos mais diversos sentidos. Para explicar esta contingência, duas teorias entram em cena, a da “Ativação” e do “Sentimento de Apego”, que diz, quando uma criança sente-se insegura decorente a algo busca conforto na figura paterna ou materna.

Para que a pesquisa fosse realizada, Daniel Paquette observou crianças de 12 a 18 meses acompanhadas pelos pais em três situações, o risco físico, o social e o da proibição. Paquette concluiu que “Quanto menos protetores são os responsáveis, mais a capacidade de exploração das crianças é ativada. A estimulação correta faz que as crianças sejam mais curiosas e explorem mais seus ambientes. Mas isso não quer dizer que elas não respeitam regras”.

Fonte: Uol

Comments are closed.