Tese de doutorado mostra que questões socioeconômicas são influenciadas pelo uso de antidepressivos e ansiolíticos

O site da Revista Mente & Cérebro publicou uma notícia sobre uma tese de doutorado defendida pelo farmacêutico Reginaldo Teixeira Mendonça na Faculdade de Saúde Pública da Universidade São Paulo (USP), onde seu foco é na relação dos antidepressivos, ansiolíticos com os efeitos na sociedade. Sua tese recebeu o Prêmio Nacional de Incentivo à Promoção do Uso Racional de Medicamentos de 2009, concedido pelo Ministério da Saúde.

O site da Revista Mente & Cérebro publicou uma notícia sobre uma tese de doutorado defendida pelo farmacêutico Reginaldo Teixeira Mendonça na Faculdade de Saúde Pública da Universidade São Paulo (USP), onde seu foco é na relação dos antidepressivos, ansiolíticos com os efeitos na sociedade. Sua tese recebeu o Prêmio Nacional de Incentivo à Promoção do Uso Racional de Medicamentos de 2009, concedido pelo Ministério da Saúde.

Levando em consideração que os antidepressivos e ansiolítico de certa forma são para ajudar  os conflitos emocionais, Mendonça diz que “as relações sociais são pautadas pelos medicamentos, e essa tendência pode ser produtora de um silêncio que impede a pessoa de encarar qualquer mudança em relação a sua vida”. A pesquisa foi delimitada a favelas, conjuntos habitacionais e bairros de classe média alta com uma amostra de 23 voluntários.

Fonte: Mente & Cérebro

Comments are closed.