Cabeça grande pode indicar maior resistência aos efeitos da demência

É o que dizem os pesquisadores da Universidade de Munique, da Alemanha, de acordo com o site da BBC – Brasil.

É o que dizem os pesquisadores da Universidade de Munique, da Alemanha, de acordo com o site da BBC – Brasil.

Para chegarem a esta conclusão, os estudiosos aplicaram testes de memória e raciocínio, mediram a circunferência da cabeça e realizaram ressonância magnética com o objetivo de avaliar o grau de evolução da doença em 270 idosos portadores de Mal de Alzheimer, forma mais comum de demência.

A partir dos resultados, observou-se que aqueles pacientes que tinham a cabeça maior, tiveram resultados proporcionalmente melhores do que aqueles que tinham a cabeça menor nos testes de memória, quando comparados a pacientes com o mesmo grau de evolução da doença.

Mais especificamente, para cada 1% de perda neuronal, 1 centímetro da cabeça pode ser associado a um resultado 6% melhor nos testes.

Os pesquisadores dizem que uma cabeça maior pode apresentar maiores reservas neuronais para compensarem as perdas causadas pela demência.    

Conforme alerta Simon Ridley, chefe de pesquisas do Alzheimer's Research Trust, é importante não se dedicar muita atenção a um único fator de risco de desenvolvimento da doença. Existem várias outras pesquisas que apontam diversas outras variáveis como relacionadas ao desenvolvimento do Mal de Alzheimer. 

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.

,

Comments are closed.