Boehringer desiste da “pílula rosa” para a libido feminina

Há alguns dias o RedePsi noticiou que o periódico britânico British Medical Journal havia acusado a indústria farmacêutica de financiar pesquisas com o objetivo de transformar a falta de desejo feminino em doença. Nesta sexta-feira, o laboratório responsável pela fabricação do remédio anunciou que havia parado o desenvolvimento do Viagra Feminino.

Há alguns dias o RedePsi noticiou que o periódico britânico British Medical Journal havia acusado a indústria farmacêutica de financiar pesquisas com o objetivo de transformar a falta de desejo feminino em doença. Nesta sexta-feira, o laboratório responsável pela fabricação do remédio anunciou que havia parado o desenvolvimento do Viagra Feminino.

De acordo com o portal de notícias G1, a Boehringer – fabricante do remédio – não foi capaz de convencer as autoridades reguladoras americanas de que o remédio é eficaz no "tratamento" (se é que se pode chamar de doença) da falta de libido feminina.

De acordo com o site, a libido feminina mostra-se mais difícil de ser controlada com remédios. Consultores norte-americanos protestavam contra a venda do medicamento alegando que seus efeitos eram insatisfatórios e expunham as mulheres a riscos inaceitáveis. Quase 15% das mulheres que participavam dos estudos para verificação dos efeitos do remédio abandonaram a pesquisa devido a seus efeitos colaterais.

Fonte: portal G1

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.

Comments are closed.