Exopsicologia e o Ser

Neste artigo, tenta-se enquadrar a exopsicologia e o desenvolvimento da psique e do Ser, particularmente numa perspectiva Junguiana.

Considere-se primeiro o meu artigo de 2009, Exopsicologia: uma nova área de estudo, em que se define a Exopsicologia como o estudo psicológico das relações e funcionamento psíquico, mental, entre os humanos e entidades e civilizações extraterrestres e/ou alienígenas.

No meu artigo seguinte, Exopsicologia e esquizofrenia ( 2009 ), considero anagogicamente, no seu sentido simbólico mais mítico e geral, numa tendência Junguiana, a esquizofrenia paranóide. Assim, relaciono a paranóia, da esquizofrenia paranóide, com o facto " geopsicológico " de que, geologicamente, a Europa, tem a Itália, que se parece com uma bota, e Portugal, que tem a forma de uma cara. Ora, psicologicamente, isto é elicitador de paranóia, podendo ser considerado como é que essas formas surgiram, e mais, "quem" as terá feito, através de alguma tecnologia avançada. Tenha-se em conta, a este respeito, os planos e a intenção de, em algum futuro, a exploração astronáutica humana realizar aquilo que é designado por " Terraformação ", que consiste em alterar por geoengenharia e geoclimatericamente um determinado planeta, para o tornar habitável. Continuando, e tendo em conta o dito, exopsicologicamente, a paranóia da esquizofrenia paranóide parece ter alguma razão de ser.

Por falar em ser, pode considerar-se, exopsicologicamente, que a cara, da forma de Portugal, relaciona-se com a Máscara, tal como Jung considera, enquanto arquétipo de adaptação externa ( Jung, 1988 ). Mas adaptação externa em relação a quê ou ao quê? Tendo em conta o já dito, será adaptação externa dos humanos em relação a seres de outros planetas, além da Terra, ou seres alienígenas intra-terrenos ( habitando o interior da Terra ) ou de outras dimensões. Teríamos aqui a Terraformação do planeta Terra, como uma mensagem alienígena.
Com esta Máscara de adaptação externa, enquadre-se a perspectiva Junguiana da tendência autónoma da psique no sentido da individuação, chegando à experiência do Si-mesmo   ( Jung, 1988 )

Para mais, realçando a importância da relação psique-conhecimento, Jung ( 1988 ) afirma que a psique simplesmente é o espelho do Ser, é o conhecimento dele e tudo se move nela. Ora, relacionando os fenómenos, e exopsicologicamente, é de ter a noção de que a Sombra está relacionada com o desconhecido, segundo Jung, e equiparar-se-ia, assim, a psique à Sombra e o Ser à Máscara, considerando a dialéctica Junguiana Máscara-Sombra. Nesta perspectiva, tratar-se-ia de uma evolução da Humanidade em que a psique conteria os aspectos passados, particularmente desconhecidos, da Humanidade, e o Ser passaria a ser o contacto humano, de relação externa, com outros seres do Cosmos. Quanto à relação da psique com os aspectos desconhecidos da Humanidade, realça-se o desconhecimento quanto às origens da Humanidade e a perspectiva da Teoria do Astronauta Antigo,  que particularmente sugere que a Humanidade tem vindo a ser visitada por alienígenas ao longo da história humana, havendo a perspectiva importante quanto às origens alienígenas da Humanidade, através de Engenharia Genética, tal como sugere, por exemplo, Zecharia Sitchin ( 1990 ), no seu Genesis Revisited – Is Modern Science Catching Up With Ancient Knowledge?. Esta perspectiva é congruente com a proposta mensagem alienígena de Terraformação, referida neste artigo. Realça-se na relação da psique com a Sombra, e no aspecto evolutivo da Humanidade, a tendência exopsicológica da psique passar a ser desconhecida numa tendência constitutiva semelhante ao inconsciente colectivo que Jung ( 1988 ) refere, em que este inconsciente constitui os vestígios das experiências passadas da Humanidade.

Quanto à questão importante do Ser estar equiparado à Máscara, e passar a ser o contacto humano, de relação externa, com outros seres do Cosmos, a mesma constituirá a mensagem alienígena, da Terraformação.

Assim, e respondendo à asserção de Shakespeare: Ser ou não Ser, eis a questão!, afirmo: Definitivamente, Ser!

Bibliografia
Jung, C. G. ( 1988 ). A prática da psicoterapia ( tradução portuguesa ) in Obras Completas de C. G. Jung, Vol. XVI. Petrópolis: Editora Vozes ( Edição original, 1971 )
Resende, S. ( 2009 ). Exopsicologia: uma nova área de estudo in www.redepsi.com.br, em secção Artigos/Teorias e Sistemas no Campo Psi em 27/07/2009
Resende, S. ( 2009 ). Exopsicologia e esquizofrenia in www.redepsi.com.br, em secção Artigos/Teorias e Sistemas no Campo Psi em 08/10/2009
Sitchin, Z. ( 1990 ). Genesis Revisited – Is Modern Science Catching Up With Ancient Knowledge?. Avon Books. New York

About Sérgio Miguel Ramos Duarte Fortes Resende

Comments are closed.