Variação genética diminui chances de dependência do álcool

A descoberta foi feita por pesquisadores da  Universidade da Carolina do Norte, Estados Unidos e foi publicada na revista Alcoholism: Clinical and Experimental Research".

A descoberta foi feita por pesquisadores da  Universidade da Carolina do Norte, Estados Unidos e foi publicada na revista Alcoholism: Clinical and Experimental Research".

Algumas pesquisas já haviam demonstrado que pessoas que apresentam reação intensa ao alcoolismo são menos propensas a desenvolver dependência, mas a origem genética desta relação ainda não havia sido desvendada.

Este estudo, no entanto, demonstrou que uma variação do gene "CYP2E1" torna as pessoas mais susceptíveis a embriaguês mais intensas com menores quantidades da bebida; o que, por sua vez, as torna menos propensas
a desenvolver dependência ao álcool.

Para chegarem a esta conclusão, os autores do estudo avaliaram centenas de duplas de irmãos adultos com história de dependência de álcool em ao menos um dos pais. Estes participantes ingeriram o equivalente a três copos de vodka com refrigerante, e após isto, tiveram de responder a algumas perguntas para que fossem avaliados os efeitos do álcool.

Fonte: Uol Ciência e Saúde.

About RedePsi

Portal de Psicologia com Notícias, Artigos, Links e Serviços de Divulgação de Cursos, Eventos e Produtos da Área.

,

Comments are closed.