Serologia: a filha da Psicologia

No seguimento do meu artigo Exopsicologia e o Ser (Resende, 2010), desenvolve-se o presente artigo, que funda a Serologia, que é relativa ao Ser e é considerada aqui a sucessora da Psicologia.

Baseado naquele artigo, é de dizer que na perspectivação da Serologia considera-se a importância dos conceitos de Máscara e Sombra que Jung cunhou. A saber, na Serologia a psique humana é considerada como a Sombra do indivíduo serológico, no sentido em que é tida como os aspectos desconhecidos da origem e desenvolvimento do psiquismo humano, que passarão a estar constituídos da mesma maneira que o inconsciente colectivo, que Jung nos fala, se constituiu, enquanto vestígios das experiências passadas da Humanidade. Ainda na Serologia, o Ser constituirá a Máscara do indivíduo serológico, no sentido em que passará a constituir o modo de adaptação externa, relativa a outros seres do Cosmos.

Estas enunciações vêm na sequência do descrito no artigo acima mencionado, em que se propõe que houve Terraformação por geoengenharia por parte de entidades alienígenas, formando, entre outros aspectos, os factos " geopsíquicos " da Europa com a cara de Portugal e a bota de Itália. Isto é, pois, entendido como uma mensagem alienígena de contacto com os humanos, e essa mensagem será, recorrendo a conceitos Junguianos, a constituição da psique humana enquanto Sombra do indivíduo e a constituição do Ser enquanto Máscara do indivíduo, no sentido de modo de adaptação externa relativamente a outros seres do Cosmos. Se para Shakespeare, ser ou não ser é a questão, para mim ser é a afirmação.

Assim, tendo em consideração o ponto de evolução contemporâneo da Humanidade, em que começou a explorar fisicamente para além-Terra, é de suma importância reconhecer e estabelecer modos de contacto com outros seres cósmicos. Isto, mesmo considerando que eles já estejam presentes na Terra desde a origem da Humanidade, surgindo mesmo a noção de a Humanidade ter sido criada por alienígenas através de Engenharia Genética, como nos diz Zecharia Sitchin ( 1990 ).

Voltando aos modos de contacto, devemos pensar que o objectivo das sociedades contemporâneas deverá ser o de desenvolver sistemas societais anti-xenófobos, anti-fascistas, e em última instância, anti-capitalistas, já que o Capitalismo promove sobremaneira, e particularmente, graves desigualdades socio-económicas, que em certa medida promovem a aversão do outro baseado no seu estatuto socio-económico.

Assim, dever-se-ão promover sistemas ideológicos como o comunista, desenvolvendo modos de relacionamento baseados na amizade, igualdade, reciprocidade e no desenvolvimento e manutenção da cooperação mútua, já em contacto, e não a interdependência, como é apanágio dos sistemas capitalistas. Isto não vem descurar o desenvolvimento de sistemas de defesa, particularmente de auto-defesa.

Deste modo, a Serologia, que surge na passagem da psique para o Ser, se constituirá ideologicamente enquanto comunista. Direi, para finalizar: Comecemos por ser ser, para passarmos a ser humanos!

Bibliografia

Resende, S. ( 2010 ). Exopsicologia e o Ser in www.redepsi.com.br, em secção Artigos/Teorias e Sistemas no Campo Psi em 16/10/2010

Sitchin, Z. ( 1990 ). Genesis Revisited – Is Modern Science Catching Up With Ancient Knowledge?. Avon Books. New York

About Sérgio Miguel Ramos Duarte Fortes Resende

Comments are closed.