Exemplos específicos das características subcompensatórias do homem derivadas da inveja do clitóris

Especificam-se, aqui, breves exemplos das características subcompensatórias do homem, derivadas da inveja do clitóris.

O presente artigo vem muito em complemento ao artigo Aspectos criativos e evolutivos da inveja do clitóris ( Resende, 2010 ). Após caracterizar que a inveja do clitóris é mais típica no homem, indica-se, aí, que a mesma se caracteriza por uma subcompensação narcísica, por uma tentativa de diminuição narcísica, derivada do sentimento de superioridade narcísica advindo da comparação pénis-clitóris.

Adianta-se, aqui, que a variação diferencial entre o pénis erecto e o pénis flácido é um factor importante na caracterização da inveja do clitóris, particularmente nas suas características subcompensatórias.

Continuando a referência ao artigo acima mencionado, indica-se um exemplo quanto à tendência histórica do maior poder criativo do homem, em oposição à mulher, e em particular com o surgimento de génios, tendência essa que está enquadrada nas características subcompensatórias derivadas da inveja do clitóris. O exemplo é retirado de uma biografia cinéfila do artista Miguel Ângelo, em que, relativamente à escultura, Miguel Ângelo é tido como considerando que a obra já está feita à partida, sendo tarefa do artista, escultor, tirar o que está a mais. É um exemplo paradigmático das características subcompensatórias do maior poder criativo do homem.

Outro paradigma que se introduz neste artigo é relativo à guerra, e tem tanta relevância quanto a mesma tem tido crucial importância, desde tempos idos, na formação de nações, blocos estratégicos e ideologias, com sua maior ou menor prevalência. Os exemplo relativos à guerra são retirados do clássico dos clássicos sobre a guerra, A Arte da Guerra, de Sun Tzu ( 1963 ), autor chinês que terá escrito este manual há cerca de 2500 anos. Embora tenha sido escrito quanto à guerra militar, e influenciado militares ao longo das épocas, o livro tem sido estudado por, e influenciado, um pouco por todo o mundo, empresários e empreendedores, realçando, pois, a sua influência em guerras para além das militares. É bastante relevante, quanto às características subcompensatórias da inveja do clitóris, o facto de, tradicionalmente, as guerras militares, e mesmo particularmente as guerras empresariais, e outras, serem protagonizadas por homens. Assim, exemplos paradigmáticos das características subcompensatórias são a indicação, por Sun Tzu, de que o clímax da capacidade em batalha é submeter o inimigo sem lutar, e, ainda, que se deve fingir incapacidade para iludir o inimigo. Caracterizando o perito na guerra, o autor reconhece que, por vezes, se deve sacrificar uma porção da sua força guerreira para obter um objectivo mais valioso. Há, aqui, um paralelo com o sacrifício de peças no xadrez. Outros dos exemplos n'A Arte da Guerra, de características subcompensatórias, são quando ele diz que onde o inimigo é forte, é de evitá-lo, e, ainda, importantemente, pretender inferioridade, encorajando a arrogância do inimigo. Dir-se-à, neste último exemplo, que se deve diminuir as características subcompensatórias do inimigo.

Termino o artigo com outro exemplo paradigmático das características subcompensatórias do homem, a saber, a máxima socrática, conhecida em todo o mundo: " Só sei que nada sei! ".

Bibliografia
Resende, S. ( 2010 ). Aspectos criativos e evolutivos da inveja do clitóris in www.redepsi.com.br, em secção Artigos/Teorias e Sistemas no Campo Psi em 17/11/2010
Tzu, S. ( 1963 ). The Art of War ( tradução inglesa ). Oxford University Press. ( Edição original, 500 A. C. )

About Sérgio Miguel Ramos Duarte Fortes Resende

Comments are closed.