Mulher é a última esperança da ciência para tratamento de fobias

De acordo com o portal de notícias, uma mulher que não vivencia a sensação de medo é a "última esperança" dos cientistas para o tratamento de fobias extremas e transtornos de estresse pós traumático.

De acordo com o portal de notícias, uma mulher que não vivencia a sensação de medo é a "última esperança" dos cientistas para o tratamento de fobias extremas e transtornos de estresse pós traumático.

A pesquisa, publicada no periódico Current Biology, descreve o caso de uma mulher que teve suas amígdalas destruídas por uma doença rara. A participante foi submetida a diversos testes e questionários visando avaliar sua reação de medo frente a certos estímulos.

Os cientistas impressionam-se ao notarem que ela não manifesta medo diante de coisas que normalmente provocariam esta reação. Ela tem consciência de que deveria evitar certos estímulos, mas não os evita por "não sentir medo" deles.

Os pesquisadores acreditam que as conclusões do estudo podem contribuir no direcionamento dos novos tratamentos de fobias e transtornos de estresse-pós-traumáticos graves: além da psicoterapia e medicação, normalmente utilizadas, podem ser desenvolvidas técnicas visando à amigdala.

Fonte: portal G1.

Comments are closed.