Exopsicologia e a ” Cara ” de Marte

Pretende-se relacionar as influências psicológicas da existência geopsíquica das formas da cara, de Portugal, assim como da bota, de Itália, com a existência da "cara" descoberta em Marte, em 1976, e isto no âmbito da exopsicologia.

Embora se deva estar também atento aos meus artigos Exopsicologia: uma nova área de estudo ( Resende, 2009 ) e Exopsicologia e esquizofrenia ( Resende, 2009 ), atente-se que, particularmente, na sequência dos meus artigos Exopsicologia e o Ser ( Resende, 2010 ) e Serologia: a filha da Psicologia               ( Resende, 2010 ), é de considerar que a cara, da forma de Portugal, relaciona-se com a Máscara, tal como Jung considera, enquanto arquétipo de adaptação externa ( Jung, 1988 ).

Ora, nesses meus dois últimos artigos referidos, considera-se, exopsicologicamente, que essa Máscara constituirá adaptação externa dos humanos em relação a seres de outros planetas, além da Terra, ou seres alienígenas intra-terrenos ( habitando o interior da Terra ) ou de outras dimensões.

Considerando aquelas formas referidas, ter-se-à a Terraformação do planeta Terra, como uma mensagem alienígena, em que Terraformação consiste em alterar, por geoengenharia e geoclimatericamente, um determinado planeta, para o tornar habitável.  Esta terraformação, e estas noções, estão enquadradas na consideração de que a Humanidade tem vindo a ser visitada por alienígenas ao longo da história humana, havendo a perspectiva importante quanto às origens alienígenas da Humanidade, através de Engenharia Genética, tal como sugere, por exemplo, Zecharia Sitchin         ( 1990 ), em Genesis Revisited – Is Modern Science Catching Up With Ancient Knowledge?, e isto baseado na tradução de plaquetas sumérias.

Esta perspectiva é congruente com a proposta mensagem alienígena de terraformação, em que baseado em considerações Junguianas, equiparar-se-ia, exopsicologicamente, a psique humana à Sombra e o Ser à Máscara, em que o Ser passaria a ser o contacto humano, de relação externa, com outros seres do Cosmos.

Estejamos atentos, agora, à cara esculpida na superfície de Marte, e que foi descoberta e fotografada pela sonda Viking I, em 1976.

Tal como proposto por Sitchin ( 1990 ), sugere-se que essa cara terá sido esculpida por Terraformação por entidades alienígenas.

Sitchin ( 1990 ) refere, importantemente, que uma equipa, na qual se incluía Richard C. Hoagland, concluíu que a cara terá sido construída há cerca de meio milhão de anos, em alinhamento com o nascer do Sol no solstício em Marte. Isto é importante porque o próprio Sitchin realça que os Anunnaki/Nefilim, entidades alienígenas que terão estado na origem da Humanidade, como já referido, terão aterrado na Terra, pela primeira vez, há cerca de 450 000 anos. Ora, o que isto indica é que os mesmos seres que fizeram a Terraformação na Terra terão estado envolvidos na feitura da cara de Marte, assim como pirâmides, e outra estruturas nesse planeta, estruturas que são descritas por Sitchin.

Exopsicologicamente, e tentando perspectivar a mensagem alienígena subjacente, é de ter em conta que os humanos dão, ao planeta em questão, o nome de Marte, o deus romano da guerra. Este facto acarretará consequências psicológicas para os humanos.

Isto poderá significar que a mensagem enviada aos humanos é de que há um conflito entre as entidades que criaram a humanidade e a própria humanidade.

É de ter em conta que o capítulo em que Sitchin ( 1990 ) discorre sobre a cara de Marte, tem o título de Uma Base Espacial em Marte, apontando evidências fotográficas de que aparenta haverem pistas de aterragem em Marte, que poderão, muito bem, ter fins militares. Estes fins seriam coerentes com o que alguns denunciantes relatam, indicando que os Estados Unidos têm bases militares em Marte, e que têm uma frota militar espacial.

Em relação ao conflito referido, perspective-se que Sitchin        ( 2007 ) tem um livro com o título The Wars of Gods and Men, em que todo ele descreve conflitos entre os homens e aqueles que antigamente eram considerados deuses. Esta noção de que aqueles que eram antigamente considerados deuses, terem sido entidades alienígenas, o que é chamada a Teoria do Astronauta Antigo, é partilhada por Erich von Daniken, particularmente em Chariots of the Gods? ( 1969 ).

Resumidamente, ter-se-à, então, que, exopsicologicamente, haverá um conflito, porventura bélico, entre a Humanidade e entidades alienígenas. Tenha-se em atenção que, particularmente, devido à Sombra e, talvez, principalmente, à Máscara, terem caracterizações psicológicas, aquele conflito passará, também, predominantemente, por ataques mentais, telepáticos, no sentido de alterar mentalmente e/ou corporalmente os humanos. Diga-se que as intervenções telepáticas já tinham sido referidas nos meus dois primeiros artigos no âmbito da exopsicologia, a saber, Exopsicologia: uma nova área de estudo ( Resende, 2009 ) e Exopsicologia e esquizofrenia ( Resende, 2009 ).

Bibliografia
Daniken, E. von ( 1969 ). Chariots of the Gods? Was God an Astronaut?. ( Tradução inglesa ) The Souvenir Press. Richard Clay ( The Chaucer Press ), Ltd., Bungay, Suffolk. Great Britain
Jung, C. G. ( 1988 ). A prática da psicoterapia ( tradução portuguesa ) in Obras Completas de C. G. Jung, Vol. XVI. Petrópolis: Editora Vozes. ( Edição original, 1971 )
Resende, S. ( 2009 ). Exopsicologia: uma nova área de estudo in www.redepsi.com.br, em secção Artigos/Teorias e Sistemas no Campo Psi em 27/07/2009
Resende, S. ( 2009 ). Exopsicologia e esquizofrenia in www.redepsi.com.br, em secção Artigos/Teorias e Sistemas no Campo Psi em 08/10/2009
Resende, S. ( 2010 ). Exopsicologia e o Ser in www.redepsi.com.br, em secção Artigos/Teorias e Sistemas no Campo Psi em 16/10/2010
Resende, S. ( 2010 ). Serologia: a filha da Psicologia in www.redepsi.com.br, em secção Artigos/Teorias e Sistemas no Campo Psi em 09/11/2010
Sitchin, Z. ( 1990 ). Genesis Revisited – Is Modern Science Catching Up With Ancient Knowledge?. Avon Books. New York
Sitchin, Z. ( 2007 ). The Wars of Gods and Men. Harper. New York. ( Edição original: 1985 )

About Sérgio Miguel Ramos Duarte Fortes Resende

Comments are closed.