Caracterização específica da Serologia e do Ser

Este artigo vem em sequência do meu artigo Serologia: a filha da Psicologia ( Resende, 2010 ), no qual se caracteriza, geralmente, a Serologia, na passagem da psique para o Ser.

Assim, baseados em Jung, devemos considerar que na Serologia, a psique humana é considerada como a Sombra do indivíduo serológico, no sentido em que é tida como os aspectos desconhecidos da origem e desenvolvimento do psiquismo humano, que passarão a estar constituídos da mesma maneira que o inconsciente colectivo se constituiu, enquanto vestígios das experiências passadas da Humanidade. Ainda na Serologia, o Ser constituirá a Máscara do indivíduo serológico, no sentido em que passará a constituir o modo de adaptação externa, relativa a outros seres do Cosmos.

Ademais, avanço que a Serologia constituir-se-à enquanto sistema ideológico, com desenvolvimento de modos de relacionamento baseados na amizade, igualdade, reciprocidade e desenvolvimento e manutenção da cooperação mútua.

Mas como caracterizar mais especificamente a Serologia e o Ser?

Em primeiro, ao invés da Máscara da psique, o Ser, enquanto Máscara, terá a primazia do essencial ao invés do acessório, o que levará, em última instância, a uma melhor capacidade sintética do ego, o que apontará para um sistema mental mais evoluído.

Ademais, proponho que o Ser basear-se-à na primazia do verdadeiro self, ao invés do falso self, na linha Winnicottiana, em que, deste modo, o verdadeiro self do Ser se caracterizará por maior espontaneidade e criatividade. Este verdadeiro self levar-nos-à à busca da verdade, que era cara a Wilfred Bion ( Symington & Symington, 1999 ), e aproximar-nos-à da realidade última, que este autor considerava, contudo, incognoscível. Para Bion, a realidade última era a verdade, considerando que o papel do indivíduo é o de ser o veículo da verdade.

Assim, considerando estas noções do Ser, dir-se-à que a Serologia busca a realidade última, procura a verdade.

Podemos estabelecer um paralelo com a Física, que tendo como objectivo último de pesquisa a Teoria do Tudo ( Everything Theory ), remete-nos para uma Serologia com o objectivo último de pesquisa a Teoria do Tudo, a nível mental. Isto é, remete-nos para todos os processos e características que verdadeiramente ocorrem no ser humano a nível mental.

Como a Teoria do Tudo em Física procura as forças fundamentais que governam o Universo, a Teoria do Tudo na Serologia procurará as forças e processos fundamentais que governam a mente, particularmente na relação entre a mente e a matéria. É caso para dizer: o poder da mente sobre a matéria.

Isto leva-nos para o estudo e desenvolvimento de processos como a telepatia e a telecinésia, como por exemplo o teletransporte ou teleportação, ou ainda atravessar objectos físicos como paredes, como descrito, por exemplo, em Sequestro, de John E. Mack ( 1994 ), no contexto das capacidades dos alienígenas que abduzem, raptam, pessoas. Os outros processos referidos são também comumentemente descritos por contactados por extraterrestres, denunciantes, por exemplo, do governo, serviços secretos e/ou forças militares, e ainda investigadores das áreas da Ovnilogia, Exopolítica, etc., como sendo característicos de diferentes entidades alienígenas. Particularmente ao nível dos contactados, e abduzidos, ler por exemplo The Custodians: Beyond Abduction, de Dolores Cannon ( 1999 ), livro esclarecedor quanto às intervenções telepáticas de seres alienígenas em humanos, como quanto às comunicações telepáticas entre si.

Resumindo, serologicamente, o ser humano verdadeiro caminhará para o domínio da mente sobre a matéria enquanto que a Serologia tentará aproximar-se da Teoria do Tudo.

O descrito é coerente com o Ser enquanto Máscara, enquanto modo de adaptação externa relativa a outros seres do Cosmos.

Bibliografia
Cannon, D. ( 1999 ). The Custodians: Beyond Abduction. Ozark Mountain Publishers
Mack, J. E. ( 1994 ). Sequestro ( tradução portuguesa ). Lisboa: Temas da Actualidade, D. L.
Resende, S. ( 2010 ). Serologia: a filha da Psicologia in www.redepsi.com.br, na secção Artigos/Teorias e Sistemas no Campo Psi em 09/11/2010
Symington, J. & Symington, N. ( 1999 ). O pensamento clínico de Wilfred Bion ( tradução portuguesa ). Climepsi Editores

About Sérgio Miguel Ramos Duarte Fortes Resende

Comments are closed.