Nove, em cada dez casos de AVC, poderiam ser evitados.

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma doença caracterizada pela  interrupção da irrigação sanguínea das estruturas do encéfalo e é hoje uma das principais causas de morte no Brasil e no mundo.

O Acidente Vascular Cerebral (AVC) é uma doença caracterizada pela  interrupção da irrigação sanguínea das estruturas do encéfalo e é hoje uma das principais causas de morte no Brasil e no mundo.

Existem dois tipos de AVC. O AVC Isquêmico, o qual decorre de uma obstrução arterial e que corresponde a cerca de 80% dos casos e o AVC Hemorrágico, o qual ocorre em função de um rompimento de uma artéria e corresponde a cerca de 20% dos casos.

Muitas das mortes causadas pelo AVC poderiam ser evitadas se fosse dispensada uma atenção maior aos fatores de risco da doença. Estes fatores foram investigados sistematicamente através de um estudo chamado INTERSTROKE, no qual, além de procurar estabelecer a associação dos fatores de risco já conhecidos com o AVC e seus dois subtipos, procurou-se também avaliar a contribuição deles para o surgimento da doença.

O estudo avaliou a população de 22 países entre 1 de março de 2007 e 23 de abril de 2010. Os participantes foram pessoas com um primeiro AVC agudo, com prazo de 5 dias do início dos sintomas e 72 horas de internação. Foi montado também o grupo controle, composto por pessoas sem histórico de derrame. Todos os participantes responderam a um questionário e participaram de um exame físico, além de fornecerem amostras para exames de sangue e urina.

Demonstrou-se que os principais fatores de risco para o AVC Isquêmico são: história de hipertensão,  tabagismo atual, relação cintura-quadril (obesidade acima da cintura), dieta inadequada, sedentarismo (a presença de atividade física regular foi um forte fator protetor, diminuindo o risco relativo de AVC em 30%), diabetes mellitus, ingestão excessiva de álcool, estresse psicossocial, depressão, causas cardíacas e anormalidades do colesterol.

Em conjunto, estes fatores de risco são responsáveis por 88,1% dos casos de AVC. E quando se aplica uma definição mais ampla de hipertensão arterial, na qual foram considerados casos de pessoas com histórico de pressão alta mas com quadro atual normal, este valor subiu para 90% dos casos.

Em relação ao AVC Hemorrágico, os principais fatores de risco foram: hipertensão arterial,tabagismo, relação cintura-quadril, dieta e consumo excessivo de álcool.

Fonte: Portal do Coração.

Comments are closed.