Estudantes de Psicologia da UFPI entram em greve

O protesto teve início no dia 21 de março e os estudantes alegam a inexistência de condições básicas para a continuidade de sua graduação. Entre as dificuldades enfrentadas, estão:

O protesto teve início no dia 21 de março e os estudantes alegam a inexistência de condições básicas para a continuidade de sua graduação. Entre as dificuldades enfrentadas, estão:

– Falta de testes Psicológicos Essenciais à formação;
– Falta de Professores: atualmente o curso está sem 13
disciplinas, por este motivo;
– Falta de orientadores para o estágio profissionalizante e
Trabalho de Conclusão de Curso;

Reclamam também da inexistência da maioria dos livros que compõe a literatura básica do curso e do não funcionamento do Serviço-Escola de Psicologia por falta dos profissionais necessários.

Já foram realizadas diversas reuniões entre representantes dos alunos e a reitoria da faculdade, que não foi capaz de apresentar alternativas que viabilizem o retorno às atividades acadêmicas. Todas as alternativas apresentadas foram classificadas como insuficientes, tanto com relação ao prazo de cumprimento do acordo quanto à incerteza de sua concretização.

De acordo com o jornal Portal do Dia, os alunos da Universidade,  cujo Campus fica em Parnaíba, planejam ir à Teresina cobrar a solução para os problemas que tem enfrentado. Ainda não o fizeram porque o ônibus da Universidade não foi liberado, explica Janaína Fernandes, uma das coordenadoras do movimento.

One Response to Estudantes de Psicologia da UFPI entram em greve

  1. Mario 2 de dezembro de 2015 at 2:50 #

    Je1 que aqui se fala em violeancia, crime e drogas, devo dizer que as tcpdooiexendeancias e o crime se3o as e1reas que mais me fascinam enquanto socif3loga.E devo dizer que muitas das atitudes e dos comportamentos desviantes dos jovens se devem ne3o somente e0 sociedade em que este3o inseridos, que ate9 pode propiciar a existeancia de subculturas desviantes, como tambe9m se deve em muita boa parte e0 educae7e3o e exemplos familiares.Fiz o meu este1gio curricular numa instituie7e3o de reabilitae7e3o de tcpdooiexendentes(alguns dos utentes tambe9m tinham passado criminal) e sei, e tambe9m li muito sobre o assunto, que uma das causas que leva muitos destes jovens a optar pelo desvio e9 a educae7e3o a que se3o sujeitos, seja uma educae7e3o demasiado autorite1ria ou uma educae7e3o demasiado permissiva. Assim como o facto de haver um familiar que tambe9m consome drogas ou que rouba ou procede a outro tipo de crime, pode ocorrer que os seus descendentes sigam a sua trajectf3ria.He1 todo um conjunto de factores individuais, familiares e sociais que podem explicar o que leva um indivedduo a adoptar um comportamento desviante ao inve9s de cumprir as regras e normas estabelecidas em sociedade.