Maestro com Síndrome de Down

O jovem venezuelano José Omar Dávila, que tem síndrome de Down, dirigiu nesta sexta-feira, dia 3, a Orquestra Sinfônica Infantil Núcleo La Rinconada, que faz parte do premiado Sistema Nacional de Orquestras, em um concerto intitulado "Homenagem aos jovens em batalha".

O jovem venezuelano José Omar Dávila, que tem síndrome de Down, dirigiu nesta sexta-feira, dia 3, a Orquestra Sinfônica Infantil Núcleo La Rinconada, que faz parte do premiado Sistema Nacional de Orquestras, em um concerto intitulado "Homenagem aos jovens em batalha".

"É fácil dirigir esta orquestra, me sinto feliz, com energia, potencial. A música é para o espírito", disse Dávila à emissora estatal "Venezolana de Televisión" ("VTV").

Dávila pediu aplausos para as crianças e adolescentes que formam a orquestra após dirigir "Aleluia", de Haendel.

A mãe do diretor, Teresa de Dávila, disse que seu filho, que hoje tem 26 anos de idade, foi educado "com muito apoio moral e espiritual".

Teresa assinalou ainda que "o amor é a nota mágica para descobrir o potencial que têm estas crianças especiais".

O jovem diretor iniciou sua carreira musical quando tinha quatro anos na cidade andina de Mérida, onde ingressou no Programa Educativo Experimental para crianças com necessidades especiais e de desenvolvimento normal pertencente à Associação Merideña de Pais e Amigos de Crianças Excepcionais.

Dávila participou como diretor da inauguração do Meeting International Special Olympics Figueres 2010, realizado na Espanha, e é o único diretor de orquestra com síndrome de Down na Venezuela, de acordo com a instituição cultural da petrolífera PDVSA, que cedeu seu Centro de Arte La Estancia para o concerto desta sexta-feira.

Dávila foi reconhecido também com a Ordem José Félix Ribas em sua Segunda Classe pelo Conselho Legislativo do estado de Mérida por sua participação no Special Olympic Meeting International e com o prêmio Raymond Turpin à trajetória.

Fonte: EFE
Adalberto Tripicchio PhD

,

Comments are closed.