RedePsi - Psicologia

Notícias

Na Busca pela Cara Metade, os Opostos não se Atraem

Um estudo conduzido por pesquisadoras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul demonstrou que, na escolha do parceiro, características comuns – como gostos compartilhados, opiniões semelhantes, hábitos parecidos, entre outras -, são mais valorizadas do que características complementares.

Um estudo conduzido por pesquisadoras da Universidade Federal do Rio Grande do Sul demonstrou que, na escolha do parceiro, características comuns – como gostos compartilhados, opiniões semelhantes, hábitos parecidos, entre outras -, são mais valorizadas do que características complementares.

O estudo demonstrou também forte influência dos modelos conjugais parentais como referenciais a serem seguidos ou evitados na formação do casal.

Participaram do estudo 5 casais adultos, que se encontravam no semestre anterior ao casamento e que ainda não moravam juntos. Os participantes responderam entrevistas individuais semiestruturadas e os dados obtidos foram submetidos a análise qualitativa de conteúdo.

Fonte: Revista Estudos de Psicologia (Campinas)

Acesso à Plataforma

Assine a nossa Newsletter