Habilidades Sociais não explicam a aceitação/ rejeição em um grupo

Uma pesquisa publicada na revista Estudos de Psicologia, de Natal, mostrou que as habilidades sociais não explicam a aceitação ou rejeição de uma pessoa em um grupo social.

O estudo foi conduzido com 126 estudantes universitários do curso de Educação Física de uma instituição de Ensino Superior do interior de São Paulo. O repertório de Habilidades Sociais dos participantes foi avaliado por meio do Inventário de Habilidades Sociais Del Prette (2001). Já o nível de aceitação no grupo, medido por meio da Avaliação Sociométrica de Jacob Levi Moreno. A Avaliação Sociométrica consiste em solicitar ao indivíduo que pontue em uma escala com quais participantes do grupo gostaria de executar alguma tarefa, atribuindo pontuação mais alta para aqueles com quem tem maior interesse e mais baixa para aqueles com quem tem menor interesse.

Observou-se que aqueles indivíduos que despertam um alto interesse nos outros para a realização de atividades em conjunto não necessariamente obtém um score elevado no inventário de Habilidades Sociais. Seguindo a mesma linha, aqueles que obtêm não necessariamente despertam grande interesse nos demais. De acordo com os autores, isto mostra que um repertório amplo de Habilidades Sociais não garante um bom desempenho social, definido conceitualmente como Competência Social.

Eles explicam que Competência Social é diferente de Habilidade Social. Enquanto o primeiro conceito diz respeito a como a pessoa de fato consegue agir em uma situação social, o segundo representa o que ela sabe sobre como agir. Em outras palavras, Competência Social define-se como proficiência de um desempenho. Habilidade Social, por sua vez, diz respeito ao conhecimento que se tem sobre este desempenho. 

O estudo completo está disponível online. Para acessá-lo, clique aqui.

Comments are closed.