Psicólogos verificam adequação psicométrica de escala que avalia preconceito frente a gays e lésbicas.

Pesquisadores das Universidades Federais da Paraíba, do Ceará e do Piauí realizaram um estudo para coletar evidências psicométricas da Escala de Motivações Externa e Interna para Responder sem Preconceito, (EMEI), considerando dois grupos-alvo: gays e lésbicas. Os autores do estudo argumentam que embora os atos de preconceito estejam sendo desencorajados em nossa sociedade, o fenômeno continua a existir de uma forma mais moderna e sutil.

Relatam que a maioria dos estudos sobre preconceito frente aos homossexuais tem como foco indicadores diretos de atitudes ou crenças, porém como o fenômeno se modificou se torna necessário novas formas de se avaliar o preconceito. Atualmente as pessoas costumam indicar que não tem preconceito ou então expressar respostas não preconceituosas.
Não encontrando instrumentos adequados para se avaliar o preconceito contra gays e lésbicas e tendo em vista a importância de se contar com ferramentas úteis para entender as razões de diferentes expressões do preconceito frente a grupos minoritários, os autores plenajaram adaptar a Escala de Motivações Interna e Externa para Responder sem Preconceito, considerando duas versões em relação ao grupo minoritário-alvo: gays e lésbicas. 
No Estudo 1 participaram 234 pessoas, com média de idade de 26 anos, a maioria do sexo feminino (54,3%) e heterossexual (95%). Eles responderam a versão da EMEI para gays. No Estudo 2 participaram 202 pessoas da população geral da mesma cidade, com idade média de 25 anos, a maioria do sexo feminino (60,9%) e heterossexual (95%). Eles responderam a versão da EMEI para lésbicas. 
Os autores concluem que reuniram-se evidências empíricas acerca da adequação psicométrica da Escala de Motivações para Responder sem Preconceito, com resultados muito similares quando se consideraram os gays e as lésbicas como grupos-alvo de preconceito. Também evidenciam o potencial deste estudo para orientar ações afirmativas que visem à diminuição do preconceito, sobretudo ao conhecer o tipo de motivação que faz com que as pessoas indiquem não ter preconceito. O instrumento não se encontra disponível no artigo e também não foram disponibilizadas informações de como obtê-lo. 
GOUVEIA, Valdiney V. et al . Motivações para responder sem preconceito: evidências de uma medida frente a gays e lésbicas. Psicol. Reflex. Crit.,  Porto Alegre,  v. 24,  n. 3,   2011 .   Disponível em <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79722011000300006&lng=pt&nrm=iso>. acessos em  25  jan.  2012.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722011000300006.

Comments are closed.