A relação entre o abuso físico na infância e o suicídio na fase adulta

Segundo estudo desenvolvido pela Universidade de Toronto, adultos que foram vítimas de abuso físico em suas infâncias estão mais propensos a ter pensamentos suicidas.
A pesquisa, que fora publicada no periódico Suicide and Life-Threatening Behavior, concluiu que aproximadamente um terço dos adultos que sofreram abusos físicos durante suas infâncias já consideraram seriamente cometer suicídio; Tais números são cinco vezes maiores quando comparados com adultos que não sofreram tal abuso. Essa descoberta sugere que as crianças que são expostas a algum tipo de abuso físico possuem maior risco de desenvolver comportamentos suicidas na vida adulta.

Os pesquisadores analisaram diferenças específicas entre 6,642 adultos, onde 7.7% relataram que sofreram algum abuso físico antes de atingirem dezoito anos; Descobriu-se também uma forte associação entre tal abuso e subsequentes comportamentos suicidas mesmo após outros fatores de risco como condições adversas de desenvolvimento ou estressores psico-sociais.

Segundo os autores da pesquisa, a mesma provê importantes dados acerca dos contínuos efeitos do abuso na infância, sendo que tais descobertas possuem importantes implicações clínicas aos profissionais da saúde, que por sua vez devem estar atentos a ideais suicidas entre adultos que tiveram experiências com algum tipo de abuso físico na infância; Além disso, o estudo aponta acerca da importância de providenciar tratamento preventivo a indivíduos abusados.

De acordo com Tobi Baker, co-autor da pesquisa, “um importante aspecto para pesquisas futuras relaciona-se a investigação dos mecanismos biopsicossociais que envolvem a transformação e desenvolvimento do processo de abuso na infância em comportamentos suicidas na fase adulta.”

Fonte: MedicalNewsToday

Comments are closed.